Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Em 7 de junho a notícia dizia que a Polícia Civil de Alagoas prendeu um homem acusado de  estuprar ‘neta’ em Branquinha.

Em 17 de julho, a Policia Civil de  Alagoas prendeu um homem suspeito de estuprar três sobrinhas de cinco, oito e engravidar a de 13 anos,em Branquinha.

Em 18 de julho, um  pai é preso por estuprar filha, de 11 anos, que tinha sonho de conhecê-lo, em Branquinha.

São essas e outras notícias que tornam a cidade de Branquinha,município da Zona da Mata de Alagoas um palco macabro de muitos casos de estupros de vulneráveis.

O que leva o delegado, Sidney Tenório,a afirmar: "Praticamente todas as semanas instauramos inquéritos para apurar estes fatos que nos chega principalmente pelo Conselho Tutelar. Geralmente conseguimos prender os autores, mas é necessário que seja feita uma política de conscientização para que se evite novas vítimas”.

Até para  o profissional que experiente no trato da questão em dois estados, o índice de estupro de vulnerável na cidade de Branquinha é chocante. Quase  todas as semanas, nos deparamos com histórias de dor e sofrimento de crianças e adolescentes abusadas por pessoas que tinham o dever moral e legal de cuidar e dar carinho. São muitos os inquéritos que apuram esse tipo de crime. Infelizmente o autor são parentes, como pai, padrastos e até avôs. Pessoas que deviam proteger. Por isso, focamos sempre na prisão para que respondam pelos atos e sirvam de exemplo", frisou Sidney

Com a palavra a Rede de Atendimento Infato Juvenil responsavel  por salvaguardar a vida de crianças e adolescentes, em Alagoas.

Alguém?