Fábio Guedes Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Morador de rua é encontrado morto a pauladas em Delmiro Gouveia

Maceió registrou 117 casos notificados de violência contra moradores de rua entre os anos de 2015 e 2017. Os dados são do Ministério da Saúde e apontam que a capital alagoana é a quinta com mais números de casos no país.

Em Maceió foram 33 casos em 2015; 59 em 2016 e 25 em 2017. Sobre o provável autor da violência, segundo o Boletim Epidemiológico, a maioria é cometida por desconhecidos.

Ainda segundo os dados, em Alagoas - no mesmo período - foram notificados 283 casos. Com relação aos tipos de violência mais comum no país, a física representa 93% de todos os casos. Já a violência psicológica/moral, tortura e sexual vem em seguida.

No período 2015-2017 foram notificados 777.904 casos de violência no Brasil; destes, em 17.386 (2,2%), a motivação principal foi a condição de situação de rua da vítima. Entre essas 17.386 pessoas, observou-se que os casos se concentraram em indivíduos nas faixas etárias de 15-24 anos, com 6.622 (38,1%); 25-34 anos, com 3.802 (21,9%); e 35-44 anos, com 2.561(14,7%). 

Ainda que em menor frequência, observou-se também a ocorrência de casos notificados em menores de 5 anos 303(1,8%). Ao longo do triênio estudado, a faixa etária mais afetada foi a de 15 a 24 anos (36,0% em 2015, 40,7% em 2016 e 37,9% em 2017).

 “Conforme observado na literatura, existe uma alta proporção de casos de violência entre os moradores de rua, que nem sempre são notificados. Os motivos da subnotificação variam desde a não procura pelo serviço de saúde por parte da vítima (ou dificuldade de acesso ao serviço), até o não registro desses casos no sistema de notificação por parte do profissional de saúde e o não preenchimento do campo “motivação da violência”, diz um trecho do estudo.