Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Hospital Geral do Estado (HGE).

Um idoso de 61 anos, que estava internado desde o dia 7 de julho, em estado grave, no Hospital Geral do Estado (HGE), morreu nesta segunda-feira (15). O paciente, que não teve a identidade divulgada, teve o pedido judicial de transferência hospitalar negado pelo Estado de Alagoas e Hospitais Credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS), conforme a assessoria de Comunicação da Defensoria Pública do Estado.

Ainda segundo a Defensoria Pública, a transferência do idoso foi determinada no dia 12 de julho. O paciente, segundo os laudos médicos, apresentava um quadro de endocardite de prótese e necessitava passar por cirurgia cardíaca imediata, tendo o quadro de saúde agravado dia após dia.

No início desta segunda-feira, a Defensora Pública do Núcleo da Saúde, Andresa Wanderley, oficiou os gestores da saúde pública do Estado e Hospitais Credenciados cobrando o cumprimento da decisão.  “É flagrante não só o descumprimento de ordem judicial, mas clara a violação aos direito fundamentais à vida, dignidade e saúde do paciente”, afirmou a defensora.

Ainda segundo a Defensora Pública, a família do paciente procurou a instituição na última sexta-feira, dia 12, informando a necessidade imediata de transferência. "Após incansáveis tentativas, a família buscou a Defensoria Pública, que, de imediato, ingressou com Ação Civil Pública, tendo o Juízo da 16ª Vara da Fazenda Estadual determinado a transferência na mesma data para Hospital Referência Credenciado ao SUS ou privado, às expensas do Estado", explicou a defensora.

De acordo com Andresa, após contato com os Hospitais Credenciados ao SUS, entre eles a Santa Casa de Misericórdia, local em que o paciente já havia realizado outros procedimentos cirúrgicos, e Hospital Veredas, estes informaram a impossibilidade de receber o idoso. 

"Também houve a notificação da Secretaria de Saúde, estando todos os responsáveis/gestores cientes da gravidade do caso antes mesmo da notificação judicial", expôs. 

Na tarde desta segunda-feira, a Defensoria Pública foi comunicada pelo familiar do falecimento do assistido, o qual não resistiu à espera pelo único meio de salvar a sua vida.

 

*Com Ascom Defensoria Pública