Foto: Ascom MPE/ AL Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e aos Crimes Contra a Ordem Tributária, Econômica e Conexos (Gaesf) depositou em uma conta judicial o valor apreendido na operação Fruto Proibido, que prendeu uma organização criminosa acusada de comercializar ilegalmente aparelhos Iphone em Maceió.

O valor apreendido, em moeda nacional, foi de R$ 123.836,00. De acordo com o Ministério Público, os valores em moedas estrangeiras, que estão sendo apurados, serão depositados mais na frente, após autorização da Superintendência do Banco do Brasil.

Foram apreendidos dólares americanos, dólares canadenses, euro e peso argentino. As cifras também ultrapassaram a casa de dezenas de milhares.

Leia mais:  Fruto Proibido: Polícia, MP e Procon orientam consumidores que tiveram aparelhos apreendidos

Operação

A operação Fruto Proibido foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e aos Crimes Contra a Ordem Tributária, Econômica e Conexos (Gaesf) do Ministério Público Estadual de Alagoas (MP-AL).

As investigações começaram há cerca de um ano. A quadrilha se dividia entre tarefas de aquisição irregular dos aparelhos, venda por meio da rede social Instagram sem a devida autorização da fornecedora Apple, armazenamento clandestino dos celulares, venda desses equipamentos sem nota fiscal, liberação ilícita de mercadoria quando esta era apreendida e lavagem do dinheiro oriundo desse comércio criminoso.