Ascom AMA Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Onze estados envolvidos e mais de 130 projetos em debate. A pauta da reunião do Comitê de Articulação das Secretarias de Estados da Área de Atuação da Sudene definiu, nesta quinta-feira (04), quais iniciativas vão fazer parte da versão do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), a ser encaminhada pela Presidência da República ao congresso nacional até agosto.

O presidente da AMA, Hugo Wanderley participou do encontro como convidado especial, ao lado de outros três presidentes.

A priorização dos projetos vai acontecer de acordo com critérios estabelecidos pela Sudene em sintonia com as estratégias abordadas no PRDNE, destacando iniciativas que, prioritariamente, atendam a vários estados ao mesmo tempo e sejam capazes de integrar geo economicamente a região.

Sobre o PRDNE

O Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste foi aprovado durante a 25ª Reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, ocorrida em no último dia 24 de maio. O PRDNE terá vigência imediata entre 2020 e 2023, tramitando juntamente com o Plano Plurianual (PPA) do Governo Federal e está dividido em eixos estratégicos: Inovação; Desenvolvimento de Capacidades Humanas; Dinamização e Diversificação Produtiva; Segurança Hídrica e Conservação Ambiental; Desenvolvimento Social; e Desenvolvimento Institucional.

A abordagem territorial proposta pelo plano regional tomou como referência as regiões geográficas intermediárias do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foram identificadas 50 regiões intermediárias, das quais nove são capitais e 41 cidades do interior. A ideia é fortalecer as cidades nordestinas de articulação intermediária, desconcentrar e interiorizar o desenvolvimento regional e consolidar o fortalecimento de uma rede policêntrica de cidades.