Foto: Fecomércio/Ascom/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true População no Comércio de Maceió

Uma pesquisa do Cadastro Central de Empresas (CEMPRE), com base nos dados divulgados pelo IBGE, revelou que o salário dos maceioenses é um dos mais baixos do país, mesmo ficando acima da média do salário em todo o estado alagoano.

De acordo com a pesquisa, o salário médio mensal no estado de Alagoas é o segundo menor do Brasil, pela segunda vez consecutiva, à frente apenas da Paraíba.

Os números mostram que o salário médio mensal em 2017 era cerca de R$ 2.102,29, equivalente a 2,2 salários mínimos por mês. O salário para o maceioense está um pouco acima da média alagoana, com R$ 2.524,89. Apesar disso, é um dos mais baixos do país.

Em comparação com o ano de 2015, quando o salário médio era de R$ 1.796,51, o trabalhador alagoano até aumentou sua renda, mas mesmo assim não foi o suficiente para tirar o estado da posição em que está estagnado.

A pesquisa aponta ainda que entre os anos de 2015 e 2017, o número de pessoas ocupadas caiu cerca de 10%, de 541.648 para 489.785, uma queda significativa envolvendo mais de 51 mil pessoas.

A CEMPRE reúne informações cadastrais e econômicas de pesquisas anuais do IBGE, nas áreas de Indústria, Construção, Comércio e Serviços, e de registros administrativos do Ministério do Trabalho e Previdência Social.

*Com assessoria