Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Na manhã da segunda-feira, 01/07, como coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas estivemos em reunião,  com o secretário de estado da saúde, Alexandre Ayres.
A reunião ocorreu no gabinete da SESAU e tivemos como uma das pautas prioritárias a necessidade de investimento institucional em políticas públicas de promoção da saúde e prevenção ao suicidio e auto-mutilação.
Como ativista enfatizamos da urgência em  focar a questão, como problema de saúde pública, pela grande incidência de mortes auto provocadas e da grande importância de ações estratégicas ,como uma das alternativas de prevenção ao suicídio.
-O que você propõe? - perguntou o secretário.
- Um programa estadual encorpado  e preventivo às vulnerabilidades da saúde mental,  e que tenha como objeto primeiro uma  ampla campanha de conscientização, voltada à valorização da vida.
Atentamos para Alexandre que  a campanha atuará como  ação emergencial , entretanto o problema que é profundo e complexo carece da criação um programa  de esrutura eficaz e eficiente , com  múltiplos olhares para combatê-lo.
Após a exposição, o secretário afirmou: - Vou encampar sua luta. Reunirei minha equipe para discutir o assunto e depois retomamos nossa conversa.
Sim,precismos falar sobre suicídio!