Foto: Reprodução / Instagram Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true O pastor evangélico Anderson do Carmo, 49 anos, foi assassinado no dia 16 junho.

A defesa de Flávio dos Santos anunciou que ingressará na Justiça com um mandado de segurança para ter acesso ao inquérito policial e também para forçar a transferência do seu cliente, filho da deputada Flordelis (PSD-RJ), para o sistema penitenciário. Flávio é suspeito de ter matado o pai, pastor Anderson do Carmo.

Os advogados Maurício Mayr e Flávio Crelier estiveram nesta sexta-feira (28) com Flávio e apontaram as condições precárias da carceragem da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG). Segundo eles, as celas - com menos de dois metros quadrados - não têm banheiro, pia e nem cama, sujeitando o preso a dormir no chão.

Os advogados também reclamaram da postura da delegada titular da DHNSG, Bárbara Lomba, de não dar atenção aos advogados.

A Agência Brasil tentou contato com a delegada para que ela comentasse a declaração dos advogados, mas até a publicação desta reportagem, a delegada não havia se manifestado.

Nesta sexta-feira(28), seis filhos do casal prestaram depoimento. Apesar da polícia ter declarado que Flávio dos Santos confessou ter atirado seis vezes contra o pai, na madrugada do último dia 16, os advogados de defesa, agora, sustentam que ele não confessou e que não foi assistido por um advogado durante o depoimento.

A deputada e Anderson coordenavam juntos o Ministério Flordelis Cidade do Fogo, com três templos muito frequentados em Niterói e São Gonçalo. Eles tinham 55 filhos, a maioria adotados.

Em nota, a Secretaria Estadual de Polícia Civil disse apenas que as investigações seguem sob sigilo.