Foto: Agência Câmara/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Ronaldo Lessa

O presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT), em Alagoas, Ronaldo Lessa esclareceu que a decisão de deixar a Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri), comandada por ele desde março deste ano, ocorreu devido à falta de apoio e priorização nas ações desenvolvidas pela pasta. O anúncio de que o ex-governador de Alagoas deixaria o governo Renan Filho foi feito na manhã desta sexta-feira (28).

Em nota, divulgada pelo partido, Lessa diz que o entendimento da legenda é de que projetos como o programa do leite, distribuição de sementes, entre outros, devem ser tratados de forma prioritária, visto que atendem os anseios da população mais necessitada.

O líder estadual do PDT enfatizou a importância da Seagri para o desenvolvimento econômico e social de Alagoas, através da distribuição de renda e geração de empregos. Disse ainda que foi realizado um seminário de construção da política pública para a agricultura familiar, além de uma proposta para criação de uma secretaria voltada exclusivamente para o desenvolvimento deste seguimento, durante sua administração frente a pasta.

Lessa agradeceu ao governador Renan Filho, a equipe, servidores, movimentos sociais e instituições do setor produtivo. O político encerrou a nota ressaltando que a importância da Seagri na vida dos alagoanos.

Ronaldo Lessa foi nomeado para assumir a pasta no dia 1º de março, após exoneração de Carlos Henrique Soares.

O Governo Estadual ainda não divulgou nenhuma informação ou nome do próximo comandante da Seagri.