Ascom Assembleia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Ricardo Nezinho

Um projeto de lei, de autoria do deputado Ricardo Nezinho (MDB), instituindo meia-entrada para professores (ativos e inativos) da rede pública e privada de todo o estado em eventos culturais e de lazer, a exemplo de cinemas, teatros e casas de show, foi aprovado – em primeira e segunda votações - na sessão desta quarta-feira (26), na Assembleia Legislativa.

A matéria segue agora para apreciação do governador Renan Filho (MDB).

Durante a votação, Nezinho explicou que já existe uma lei municipal, na capital, concedendo meia-entrada para professores, e o projeto dele apenas estende o benefício para professores de toda Alagoas. “O professor é fomentador da cultura e da arte. E essa facilidade de ir a esses espetáculos, vai permitir que ele fomente isso na sala de aula, incentivando os alunos”, destacou.

A proposta foi aprovada com os votos contrários de Davi Maia (DEM) e Bruno Toledo (PROS). O primeiro criticou a legislação sobre o patrimônio privado e disse que a concessão da meia-entrada para uma categoria irá aumentar o preço dos ingressos para quem não é professor.

Maia disse esperar que o governador Renan Filho (MDB) vete o projeto e Toledo reforçou que, quanto mais benefícios são concedidos a setores pontuais, em qualquer serviço prestado, mais a coletividade paga por eles.

Já Antonio Albuquerque (PTB) defendeu que, se há o benefício para os estudantes, é justo e merecido que ele estenda aos professores: “Não é de imaginar que possa ter aumento no custo dos ingressos por que tem professores pagando meia-entrada. Seria um ato doloso que deve ser fiscalizado. Sem contar que o número de professores não é tão grande assim para provocar esse impacto”.