Foto: Ascom PM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Equipe da Patrulha Maria da Penha tem um trabalho especializado em atender às medidas protetivas de mulheres vítimas de violência doméstica

A Patrulha Maria da Penha em Alagoas vai funcionar de domingo a domingo e 24 horas por dia. A medida foi tomada para garantir que as medidas protetivas das mulheres assistidas pelo programa sejam cumpridas.

Para Major Marcia Danielli, a ampliação da Patrulha Maria da Penha é de grande valia para sociedade e para as 143 mulheres que são assistidas pelo programa. “A sociedade alagoana ganha muito com isso, mas as mulheres ganham mais ainda com esse avanço que é muito importante”.

Ainda segundo a Major, é necessário frisar que apesar da patrulha ampliar o seu horário de funcionamento sua atuação ainda é somente para garantir a medida protetiva das mulheres que são assistidas pelo programa. “É preciso que a sociedade entenda que em casos de urgência a alternativa é acionar a Polícia Militar através do 190, pois a atuação da patrulha é mais restrita”.

Trabalhos de prevenção

 

A Patrulha Maria da Penha conta atualmente com 22 policiais militares, 2 oficialas e 20 praças, e duas viaturas caracterizadas. A Força Tarefa da Polícia Militar também se tornou parceira no atendimento de 87 casos de forma exclusiva que envolvam a violência doméstica e familiar pelo número 190.

 

Projetos buscam prevenir e quebrar o ciclo de violência doméstica. São eles: o “Patrulha Maria da Penha na Comunidade”, iniciativa voltada para as comunidades com altos índices de violência contra a mulher e também naquelas com casos sub-notificados; e o “Juntos por Elas”, direcionado, exclusivamente, para ex-companheiros das assistidas que estão sob proteção da Patrulha a fim de conscientizar o agressor do mal que ele causa a toda a família, e que esse padrão de comportamento tem cura, e pode ser mudado.

 

Ainda há também o “Patrulha Maria da Penha nos Batalhões”, que tem o objetivo capacitar os agentes da Segurança Pública para padronizar e qualificar a ação dos agentes que eventualmente atendam ocorrência de violência doméstica.