Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Marx Beltrão

No mesmo dia em que representantes dos moradores dos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro se reuniram com o presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), desembargador Tutmés Airan, para pedir celeridade nas questões referentes ao problema enfrentado pelos bairros, o deputado federal Marx Beltrão (PDS) disse em entrevista a uma emissora de rádio local que “a bancada está pronta para atuar junto ao governo federal em busca dos investimentos necessários” para ações na região.

Na entrevista com o parlamentar coordenador da bancada federal alagoana, nesta segunda-feira (10), também foi discutida a necessidade de que Estado e Município apresentem projetos à bancada, com foco nos bairros afetados pelas rachaduras e afundamentos de solo na capital. “A bancada precisa receber projetos e com os projetos nas mãos tenho certeza que todos vão se empenhar pela busca de recursos. O próprio presidente Bolsonaro já externou sua preocupação com este caso. Podem ter certeza que de posse dos projetos, que devem ser feitos por Prefeitura e Estado, a bancada vai correr atrás dos investimentos do governo federal”.

Na reunião com o presidente do TJAL, as residentes e comerciantes locais continuam defendendo que é preciso bloquear R$ 6,7 bilhões da Braskem, apontada como causadora dos problemas, conforme laudo do Serviço Geológico do Brasil. O valor foi o estipulado em ação impetrada pelo Ministério Público de Alagoas e a Defensoria. “O pleito central é o de bloqueio, para que eles possam acreditar que serão, se for caso, devidamente indenizados”, explicou Tutmés Airan. O desembargador afirmou que o pedido é razoável, tendo em vista que já há indicativo de evacuação de algumas áreas. Por outro lado, o presidente afirmou que seguirá buscando uma solução consensual junto à empresa. 

Segundo Marx, o pedido de bloqueio de R$ 6,7 bilhões da Braskem “é uma medida justa que busca garantir indenização aos moradores da região afetada, uma vez que todos precisam com urgência ser indenizados pelo enorme prejuízo que estão sofrendo. Defendo a indenização o mais rápido possível destes moradores do Pinheiro, do Bebedouro e do Mutange. Este drama afeta milhares de famílias que, de uma hora para outra, ficaram sem ter onde morar e se viram obrigadas a abandonar suas casas” concluiu o parlamentar.