Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Apesar de Alagoas ter  ultrapassado a meta mínima de imunização estipulada pelo Ministério da Saúde (MS) e ter vacinado 95,84% do público-alvo, corresponde a 840.494 pessoas, das 876.935 preconizadas, o estado  registrou de 1º de janeiro a 6 de junho, sete óbitos pelo vírus H1N1.

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SESAU) os resultados do monitoramento da Síndrome Respiratória Aguda Grave  (SRAG) registraram 77 amostras positivas para a Síndrome.

Desse total houve a identificação do vírus influenza A (H1N1) em 49 pacientes  com cinco óbitos; Identificação do vírus influenza A (H3N2) em 21 casos; Identificação do vírus respiratório Metapneumo e o Sincicial Respiratório em dois óbitos.

A maioria desses casos foram registrados em pessoas que em Maceió, havendo também  registros nos municípios de Coruripe, Maravilha, Paulo Jacinto, Igreja Nova, Arapiraca e Rio Largo.

A Sesau ressalta que, além de tomar a vacina, é importante estar atento aos cuidados de ordem pessoal, visando prevenir a transmissão dos vírus da influenza e de outras doenças respiratórias. Para isso, é necessário:

• Higienizar as mãos com a maior frequência possível;

• Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

• Utilizar o lenço descartável para higiene nasal;

• Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

• Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

• Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

• Manter os ambientes bem ventilados, evitado aglomerações em ambientes fechados;

• Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de Influenza;

• Procurar o serviço de saúde ou a orientação do médico diante dos sinais de gravidade