Foto: Divulgação / Ascom PC Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Mário Ferreira dos Santos, apontado como o autor do crime que vitimou a amante, estava com mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça, se apresentou de forma espontânea ao 11° Distrito Policial de União dia Palmares e confessou ter assassinado Elisângela Maria Barbosa.

O crime ocorreu por volta das 20h30, da última sexta-feira, dia 31 de maio. Na ocasião, o autor foi identificado como Mário Ferreira dos Santos assassinou a amante, Elisângela Maria Barbosa, no interior de um bar chamado Ciganas Bar, localizado no Conjunto Sagrada Família.

Segundo as informações dos policiais, o criminoso desferiu um golpe de faca no pescoço da vítima, à traição, sem chances de defesa para Elisângela. Mario teria praticado o crime alegando motivos passionais.

O autor convivia com a vítima há aproximadamente um ano e oito meses, sendo que há sete meses descobriu que Elisângela era garota de programa e tinha um marido, que se encontra atualmente no estado de Minas Gerais.

Segundo a polícia, o criminoso e a vítima haviam combinado de se encontrarem às 19h, no bar onde o crime ocorreu, sendo que a vítima chegou acompanhada de um terceiro indivíduo. Ao ver a cena, o autor lhe pediu um beijo e a vítima negou-se a lhe dar.

Ainda segundo a polícia, o acusado puxou uma faca que estava em sua cintura, desferiu um golpe no pescoço da vítima, atingindo-a fatalmente e falou de forma estarrecedora: “eu sou um homem meu amor”. Após o crime Mário Ferreira evadiu-se de sua residência levando com ele sua companheira, pessoa com quem mora, escondendo-se na zona rural, escapando ao flagrante.

Três dias após o crime, ele compareceu à Delegacia Regional de União dos Palmares apresentando-se espontaneamente para dar sua versão sobre o fato criminoso, alegando  que a vítima estaria planejando o seu assassinato. Segundo ele, o mesmo já havia esgotado todos os seus recursos financeiros e naquele ato, a vítima estaria com aquele terceiro indivíduo para concluir o plano de matá-lo.

A polícia disse que já havia sido instaurado inquérito para apurar o caso, o qual já se encontrava em estado avançado de investigação, inclusive com a identificação do autor e com uma representação formulada pedindo sua prisão preventiva.

A prisão do acusado foi decretada e cumprida pela Polícia Civil de União dos Palmares.

*com Ascom/PC