Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Reunidas na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM), representantes do Movimento Mulheres Municipalistas (MMM) debateram e planejaram ações que serão apoiadas e articuladas pelo grupo no segundo semestre de 2019. Pautas relacionadas à ampliação de mulheres no cenário político e a uma maior participação das próprias prefeitas foram destaques no encontro que contou com a participação da prefeita de Mar Vermelho, Juliana Almeida, que representa a AMA no movimento.

Fundadora do movimento, Tânia Ziulkoski destacou, como uma das principais conquistas das municipalistas, as duas cadeiras que possuem no Conselho Político da CNM. “O MMM tem que estar inserido em todas as pautas municipalistas”, ressaltou. O planejamento estratégico organizado pelo movimento, que possui cinco eixos de atuação, será apresentado ao Conselho.

Com o tema equidade de gênero sempre presente na reunião, o grupo sugeriu, entre outras medidas, que seja feito um trabalho de articulação com o intuito de alterar a Lei das Eleições. Hoje, a norma estabelece que as candidaturas representem, no mínimo, 30% e 70% de cada sexo. A ideia é propor mudança no texto para que o tema trate de uma proporção de mulheres eleitas e não apenas de um percentual mínimo de candidatas femininas.

Há quase seis décadas atuando em prol do movimento municipalista, a também fundadora do MMM Dalva Christofoletti instigou o grupo a seguir na busca de direitos. “Meu sonho é um dia não discutir mais [a questão] de gênero. Estamos caminhando para isso. Queremos um movimento municipalista onde homens e mulheres, juntos, tomem decisões.”

A fim de dar mais visibilidade a boas práticas em Municípios geridos por mulheres, o grupo também apoiou a proposta de o MMM incentivar e articular ações no âmbito do Prêmio MuniCiência. Parceria da CNM com a União Europeia, a iniciativa premia projetos inovadores nos Municípios brasileiros.A estruturação de Movimento de Mulheres Municipalistas Regionais também figura entre as ações planejadas para o próximo semestre.

Campanhas em datas de conscientização como o Outubro Rosa, o estímulo à participação das prefeitas em audiências públicas, pesquisa sobre o perfil de candidatas nas eleições de 2020 e ideias relacionadas à equidade de gênero e melhores práticas de administração para governos locais a fim de pautar evento prévio a XIII Cúpula Hemisférica de Prefeitos e Governos locais, que será sediado no Brasil em 2020, também foram temas da reunião.

O encontro — conduzido pela técnica da área Internacional da CNM Thais Mendes e a consultora e coordenadora do MuniCiência, Denise Messias — teve ainda a participação das prefeitas Anna Lorena Nóbrega (Monteiro/PB), Elizabeth Pelaes (Pedra Branda/AP),  Karla Batista Cabral (Vila Nova dos Martírios/MA), Luiza Maria Lima Menezes (Nepomuceno/MG) e Lucineide Parizi (Arapoema/TO).