Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Vereador Francisco Sales (PP)

Os proprietários das barracas de fogos de artifícios estão questionando o alto preço cobrado pela Prefeitura de Maceió sobre a taxa de comércio eventual para o funcionamento dos locais durante período junino. 

Na sessão desta quarta-feira (05), o vereador Francisco Sales (PP) solicitou do município uma posição sobre a cobrança já que as barracas estão instaladas em locais privados, que quitam seus impostos de IPTU e taxa de localização. 

Os comerciantes relatam que nos anos anteriores, a taxa cobrada era em torno de R$ 400,00 e esse ano pode chega até R$ 4.800,00 a depender do tamanho da área ocupada por cada barraca.

"Para nos comerciantes fica totalmente inviável custear a taxa nesse valor e ainda pagar todas os outros impostos como Corpo de Bombeiros, energia elétrica, Secretaria da Fazenda, e mais as despesas para montagem das barracas", colocou Lourival Neto, proprietário de barraca.

Ao todo são quase 13 barracas que estão instaladas em locais privados, que foram alugados para este período. Segundo o vereador Francisco Sales, com essa cobrança a prefeitura enfraquece o aquecimento da economia neste período junino, quando muitas famílias buscas uma renda extra. 

"Precisamos chegar em entendimento para que essa taxa não seja imposta a essas pessoas, que fazem o comércio local movimentar durante o período junino. São 13 barracas e diversos trabalhadores formais e informais que dependem da venda dos fogos", argumentou o vereador, acrescentando que é necessário que a o município apresente um posicionamento aos vereadores sobre o assunto.