Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Brasil tem vivido a sua maior e mais longa crise econômica da história. Com uma carga tributária altíssima e serviços públicos de países subdesenvolvidos, esta situação vem se agravando nos últimos 5 (cinco) anos.

A origem dessa crise é bastante conhecida: a negligência com o erário, o Mensalão, o Petrolão, as famosas pedaladas fiscais, políticas de desenvolvimento baseadas no Estado em detrimento ao Mercado e etc.

O fato é que a crise já atingiu a todos nós. Apenas para se ter uma ideia do tamanho do buraco, nos últimos três anos o Brasil fechou mais empresa do que abriu. O saldo não podia ser outro: desemprego galopante.

Um dos grandes vilões que impedem a retomada do crescimento tem nome e sobrenome: Previdência Social.

Apenas em 2019, o rombo será de R$ 309 bilhões de reais, um crescimento superior a 7% em relação ao ano passado. Pior, com o envelhecimento da população, esse rombo só tende a aumentar.

Já gastamos hoje com aposentadoria três vezes o valor que investimos em educação, saúde e segurança somados.

Obviamente que ninguém gostaria que fosse necessária uma nova Reforma. Mas, a verdade é que dinheiro não aguenta desaforo e por mais que Ciro Gomes discorde, imprimir moeda nunca foi solução.

Este Governo teve o mérito de ter proposto uma Reforma que não apenas “ajusta” a idade para se aposentar, mas avançou em um modelo de contribuição que livrará as futuras gerações de nos sustentarem na velhice.

Além disso, acaba com privilégios das aposentadorias especiais de funcionários públicos, políticos e membros do Judiciário. Finalmente, parece que seremos iguais perante a Lei. Ou você acha justo que um empregado que ganha um salário-mínimo pague por uma aposentadoria superior a 30 mil reais de um Deputado?

Diante de tanta polêmica e desinformação, o Movimento Brasil (MBR) e a Associação Comercial de Maceió, estarão promovendo no próximo dia 31, uma Palestra com o Secretário de Políticas Econômicas do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida com o tema “A Nova Previdência e os Impactos Econômicos”. A entrada é gratuita e os credenciamentos começarão às 18 horas na sede da Associação.

A Reforma é um remédio amargo, mas que cura. A sua aprovação é urgente e necessária. Apenas assim poderemos retomar o crescimento, os empregos e um futuro melhor para nossos filhos e netos.