Foto: Alagoas Negócios Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Pedido foi feito pela Braskem

A venda da Braskem é vista como a salvação da Odebrecht. Os cerca de R$ 20 bilhões em negociação com a empresa holandesa LyondellBasell são vistos como fundamentais para resolver boa parte de uma dívida em torno de R$ 70 bilhões do grupo brasileiro.

Contudo, o negócio esfriou e a situação é de imensa dificuldade para o Grupo Odebrecht - um dos pivôs da Operação Lava Jato. E o principal motivo é o problema da petroquímica em Alagoas e a incerteza da continuidade de extração de sal-gema, de acordo com reportagem de Fernando Scheller e Renée Pereira, do Estadão (leia aqui).

Pessoas ligadas às negociações com a empresa holandesa “classificam o afundamento de terrenos e rachaduras em construções de bairros por conta do processo de obtenção da matéria como “um desastre””.  A empresa teme comprar sem saber quanto terá que desembolsar como ressarcimento pelos problemas gerados.

Outros fatores que dificultam a negociação neste momento são:

1 - Suspensão das negociações dos papéis da Braskem na Bolsa de Nova York (Nyse) pela não entrega do formulário 20-F de 2017.

2 – Piora global do setor, desempenho fraco no primeiro trimestre deste ano e queda elevada das ações da Braskem na Bolsa brasileira.