FOTO: Reprodução internet Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Paredão de som

Os donos de paredões de som estão articulando um protesto silencioso nesta segunda-feira (20) para chamar a atenção e propor ao Ministério Público Estadual (MPE/AL) uma negociação para que seja assinado um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) visando regulamentar o uso dos aparelhos na capital alagoana.

 

O protesto foi anunciado após uma operação ocorrida neste sábado (18) em alguns pontos da cidade, que resultou na apreensão de alguns aparelhos de som. Integrante do movimento dos paredões, Junior Brasit afirma que é a maior necessidade neste momento é que os proprietários dos paredões sejam ouvidos pelo Ministério Público, já que muitos utilizam os aparelhos como fonte de renda.

 

Brasit ressalta que as fiscalizações não ocorrem de forma educativa, resultando na  apreensão dos aparelhos já na primeira abordagem. "O que nós queremos é que seja firmado um TAC, o cidadão sofra a primeira a abordagem, caso esteja errado seja feito um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) e na próxima abordagem, havendo com reincidência, seja aplicada a lei", colocou ele.

 

O projeto "MP conectado com você - perturbar o sossego alheiro é escolha sua e poluição sonora é crime" ocorre de forma conjunta com a Polícia Militar, Polícia Civil, Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) e Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (SEMSCS), Detran, entre outros órgãos. 

O protesto está agendado para às 10h da manhã, no trevo do antigo posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF). "Nós queremos chamar atenção para que o Ministério Público nos escute e a sociedade também", colocou Brasit.