Foto: Cristóvão Santos/Cada Minuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Presidente Humberto Soares

(Atualizada às 13h25)

Após as reclamações dos alagoanos com relação às quedas de energia no estado, o Ministério Público Estadual (MPE) pediu que a Equatorial Energia apresentasse um plano de soluções para reduzir o problema. Na manhã desta quarta-feira (15), a Equatorial apresentou o plano e informou que vai fazer um investimento de R$ 50 milhões em Alagoas.

Segundo o presidente da Equatorial, Humberto Soares, as ocorrências registradas em março foram consideradas “fora do comum”. “Foi um mês que choveu bastante e tivemos problemas no sistema elétrico”.

O investimento da Equatorial será com a manutenção e troca dos equipamentos, troca de fiação e a poda de árvores já que elas causam interferência na rede elétrica.

Conforme explicou Humberto, a empresa quer ampliar uma subestação de Peri Peri e configurar o circuito da mesma para atender mais de 400 mil pessoas.

Ele também explicou que o município de São Luís do Quitunde que concentra a maior necessidade de carga. “Nós já temos o terreno da subestação. Essa linha vai sair de Maceió para Paripueira e de Paripueira para São Luís. Fazendo isso reforçamos toda essa cadeia”, explicou.

Humberto afirmou que cerca de R$ 15 milhões serão investidos em automação e renovação de sistemas.

O deputado estadual Davi Maia (DEM), autor do requerimento para que a Equatorial compareça a Assembleia, comentou sobre os planos apresentados pela empresa.  

“A Equatorial também será ouvida na Assembleia e todos esses encontros são para que fique claro aos alagoanos os planos da empresa. O problema não é a privatização. Esperamos que com esses investimentos a curto, médio e longo prazo, a população alagoana pare de sofrer com as constantes faltas de energia e possam exercer suas atividades sem maiores problemas”, explica.

Furto de energia

O presidente também chamou a atenção para o furto de energia em Alagoas. Segundo ele, o índice de furto de energia na ordem de 25%. Ele explicou que por causa do furto de energia, a Eletrobras estava “quebrada”.

“Precisamos combater isso. Todos os consumidores acabam pagando essa conta. Faz parte do modelo de gestão de Equatorial a atuação forte contra o furto. Vamos fazer o investimento de R$ 20 milhões ainda em 2019”, ressaltou o presidente.

*estagiário sob a supervisão da editoria