Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Campus Ifal Maceió

Após corte de 30% do orçamento nas instituições federias públicas de ensino, servidores do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), se reúnem nessa quinta-feira (9), a partir das 13h30, em Assembleia Geral Extraordinária para discutir a adesão da Greve Nacional da Educação. A greve está marcada para a próxima quarta-feira (15).

A assembleia foi convocada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Educação Básica e Profissional no Estado de Alagoas (Sintietfal), entidade que representa os docentes e técnicos administrativos do Ifal, e deve definir qual postura da categoria diante do corte orçamentário de 36,89% do instituto Segundo o Reitor Sérgio Teixeira, existe a possibilidade da instituição parar seu funcionamento no segundo semestre por falta de recursos.

“Essa Assembleia é para debater com a nossa categoria a luta para barrar os ataques do Governo ao nosso Instituto e a educação federal como um todo. Com esses cortes, o Ifal só tem verba para funcionar até setembro. E como fica nossos estudantes? Como ficam suas bolsas permanência, de pesquisa e de extensão? Precisamos defender esse modelo de educação pública que o governo Bolsonaro quer acabar”, disse o Presidente do Sintietfal, Hugo Brandão.

A Assembleia tem também como ponto de pauta a Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro e a adesão à Greve Geral, convocada pelas Centrais Sindicais para o dia 14 de junho..

*com Ascom/IFAL