Foto: Congresso em Foco/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Calheiros

O senador Renan Calheiros (MDB) fez um pronunciamento nesta quinta-feira (09) no plenário do Senado afirmando que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) cometeu dois equívocos: o acesso às armas por decreto e a entrega o Coaf nas mãos do ex-juiz, Sérgio Moro.

Segundo Renan, sobre o acesso ao porte de arma, o assunto "não merece em nenhum aspecto uma discussão”. Ainda segundo Renan, “o presidente Bolsonaro continua pensando que vai governar o Brasil por decreto”.

“Isso é um retrocesso maior do que aconteceu na Ditadura Militar. Os decretos do Bolsonaro tem eficácia imediata. Isso é um absurdo! O Congresso não pode concordar com isso”, enfatizou o senador.

Já sobre o COAF, Calheiros disse que o Brasil foi o país que nos últimos anos disponibilizou leis de combate à corrupção. “A única coisa que não pode haver no COAF é um controle político. Isso pesa sobre o ex-juiz Moro e atual Ministro da Justiça, acusações que ele foi parcial na condução operação Lava Jato. De que ele condenou sem provas e exagerou na utilização de medidas cautelares”.

Renan finaliza o discurso dizendo que Moro declarou que é um político e que tudo que o COAF não precisa é a condução de um político.