Foto: Ascom Ufal Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Universidade Federal de Alagoas (Ufal)

Com o corte de verba do Governo Federal, a reitora da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) já anunciou que a instituição tem verba para conseguir manter o seu funcionamento até o mês de setembro, mas antes desse período algumas medidas, consideradas emergenciais, já estão adotadas para conter os gastos.

Em entrevista a TV Gazeta, a reitora Valéria Correia enfatizou que pode reduzir drasticamente o quadro dos funcionários terceirizados na universidade para conseguir fechar as contas. Além dessa medida, a redução também irá atingir o transporte, diárias e viagens.

“Vamos trabalhar para diminuir o consumo da energia elétrica, pois sabemos que essas medidas são certamente as mais urgentes”, disse a reitora.

Por outro lado, a preocupação dos alunos com uma possível greve na instituição é constante, principalmente os acadêmicos do curso de humanas.

 O bloqueio orçamentário feito pelo Governo Federal foi de R$ 39.576.608,00 dos recursos de custeio e capital. De acordo com a Ufal, esse valor representa 36,6% do orçamento da universidade e os bloqueios foram efetivados nas ações orçamentárias de funcionamento da Universidade, capacitação de servidores, recursos consignados ao Hospital veterinário da UFAL e funcionamento da Escola Técnica de Artes.

oram também bloqueadas as emendas parlamentares consignadas à UFAL pela bancada alagoana. Apenas as ações de assistência estudantil não foram afetadas pelo corte.

*Com informações da TV Gazeta