Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A campanha publicitária e institucional do Banco do Brasil mostrava para um monte de gente a cara diversa que tem esse país.
No comercial do Banco do Brasil tinha, sobretudo, gente preta.
Também tinha gente tatuada.
O comercial do Banco do Brasil feriu os brios de Jair Messias, o presidente  da República Federativa, que no lugar de cuidar do país fica monitorando os comerciais de tv.
E Jair não gostou do comercial do Banco do Brasil.
Tinha pret@s demais.
E não gostando do comercial , Jair procurou o presidente do banco,Rubem Novaes,  sem delongas,e  sem apresentar uma justificativa plausível , bateu o pé.
Alertou para o subordinado que não concordava com a peça publicitária e mandou o verbo: Exclua!
E o subordinado respeitoso nao só excluiu a possibilidade da reinvenção dos olhares para a 
 multiplicidade e diversidade de todo um povo,como também demitiu o diretor de Comunicação e Marketing do banco, Delano Valentim.
A campanha estava no ar desde  o início de abril e a propaganda foi suspensa no último dia 14, após o presidente ter assistido ao filme. 
Ideologicamente, Jair Messias, o presidente segue atropelando a nossa frágil democracia.
E era uma vez um comercial que tinha pret@s do Banco do Brasil.
Foi censurado.
E the end!