Cristovão Santos/CM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Moradores do Pinheiro, Mutange e Bebedouro realizam protesto

Moradores dos bairros afetados pelas rachaduras em Maceió foram às ruas na manhã desta quinta-feira (25), na Praça Centenário, no bairro do Farol para cobrar isenção, transparência no laudo e pedir que a Justiça faça o bloqueio de mais de R$ 6 bilhões da Braskem. Para Ésio Melo, representante da Unidade Popular, a Braskem é a principal responsável pelo afundamento do solo nas regiões afetadas.

Segundo Ésio, os moradores entendem que a culpada é a Braskem e ressaltou que o Governo e a Prefeitura são “cúmplices” da empresa.  “São milhares de vidas ameaçadas pela ganância da empresa. A Braskem é a grande responsável e não queremos ser refém dessa empresa que faz o que quer com o alagoano”, finalizou.

Para ele, essa situação só poderá ser revertida se houver luta e mobilização por parte da população. Ésio também comentou que os órgãos estão postergando a entrega do laudo e que a Justiça deve bloquear os bilhões da Braskem.

“Essa empresa lucrou bilhões e precisa pagar indenização já que existe uma região inteira ameaçada. São 40 anos de exploração de salgema e de impactos ambientais”.

Os moradores fecharam a via sentido Centro e seguiram até o Tribunal de Justiça de Alagoas. 

*estagiário sob a supervisão da editoria