Foto: Assessoria / Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Subsede da Associação dos Cabos e Soldados (ACS), em Maragogi.

O diretor-presidente da subsede da Associação dos Cabos e Soldados em Alagoas (ACS/AL), em Maragogi, Cabo Nascimento, divulgou uma nota, nesta terça-feira (23), negando a afirmação do Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol) de que poderia haver uma “guerra” entre os policiais civis e militares alagoanos.

A declaração do Sindpol, por meio de nota emitida pelo presidente do sindicato, Ricardo Nazário, aconteceu após a prisão de um agente da Polícia Civil, em Maragogi, por policiais militares.

“Em nenhuma hipótese a guarnição de Maragogi se comportou de forma rude com relação à abordagem feita a um agente da Polícia Civil como foi dito em nota distribuída pelo Sindpol”, ressaltou Cabo Nascimento.

A suposta “guerra” também foi negada mais cedo pelo comandante-geral da PM, coronel Marcos Sampaio. Em entrevista ao Cada Minuto, ele avaliou a fala do presidente do Sindipol como “infeliz”.

Na nota divulgada pela ACS, Cabo Nascimento também negou qualquer crise entre a PM e a PC e disse que a harmonia permanece entre ambas.

Leia a nota divulgada pela ACS, na íntegra, abaixo:

O diretor-presidente da subsede da Associação dos Cabos e Soldados em Alagoas (ACS/AL), em Maragogi, Cabo Nascimento, vem por meio desta nota informar a todos que, em nenhuma hipótese a guarnição de Maragogi(AL) se comportou de forma rude com relação a abordagem feita a um agente da Polícia Civil como foi dito em nota distribuída pelo Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol).

O CASO: Muito recentemente policiais militares que estavam a trabalho em Maragogi(AL) foram acionados na orla do município porque receberam a informação de que um agente da Polícia Civil estava apontando a arma na cabeça das pessoas e fazia ameaças as mesmas de uma forma extremamente alterada. Neste caso, o papel dos policiais militares foi o de conter o agente para assim evitar algo pior. Infelizmente, o policial civil ficou bem agressivo e se negou a acompanhar os militares desrespeitando-os e também sendo desrespeitoso com os próprios agentes da PC que se encontravam na delegacia. 

O presidente da ACS/AL, Sargento Wellington Silva, se reuniu hoje (23) com o comandante-geral da Polícia Militar de Alagoas (PMAL), Coronel Marcos Sampaio e disse que o mesmo afirmou não haver guerra entre a PM e a PC. Além disso, o comandante apoia a guarnição que estava em plena atividade a favor da segurança da população. 

A entidade informa, ainda, que foi necessário que os militares agissem com mais rigor a fim de minimizar o ato do referido agente da PC para garantir a ordem pública. 

Sendo assim, a ACS Alagoas ressalta que a harmonia entre a PM e a PC permanece e a crise NÃO existe.

Maceió(AL), 23 de abril de 2019.

Atenciosamente, a diretoria da ACS Alagoas.