Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputada Jó Pereira

Em pronunciamento na sessão desta terça-feira (23), na Assembleia Legislativa, a deputada Jó Pereira destacou o positivo desempenho da Casa na realização de sessões especiais, proporcionando debates sobre temas relevantes para os alagoanos e, principalmente, em muitos desses assuntos, evidenciando dramas, desafios e urgências na busca por soluções.

A parlamentar salientou o papel estratégico do parlamento de dialogar, elaborar propostas e gerar avanços para Alagoas, também por meio dessas sessões, e afirmou que tal produção nesse início de legislatura, a deixa orgulhosa e remete à história do patrono da Assembleia Legislativa, Tavares Bastos, “importantíssimo exemplo de postura parlamentar, de coerência e determinação em provocar mudanças”, cujo aniversário de 180 anos de nascimento foi comemorado no dia 20 deste mês.

Jó citou o caráter visionário do patrono, cuja carreira política foi marcada pela preocupação com questões sociais e econômicas, sobretudo a escravidão, a educação, a liberdade religiosa e a defesa de ideias fundamentais - e ainda hoje atuais -, como a necessidade da descentralização, de dar autonomia às então províncias, e da reforma eleitoral.

“Tema mais uma vez importantíssimo hoje, quando municípios e estados estão sufocados pela centralização de recursos no ente federal. E aqui fazendo um parêntese, e referência ao motivo de meu pronunciamento, digo que em cada audiência pública, sessão especial, fica mais evidenciada tal grave distorção. Precisamos de menos Brasília e mais Brasil”, frisou, reafirmando que Tavares Bastos transcende seu tempo.

“Se todas as assembleias e câmaras de vereadores, utilizando dessa prerrogativa de ser a casa do povo, assim priorizassem essas sessões, gerando um conteúdo forte e próximo da realidade do povo, teríamos mais encaminhamentos, dados e informações, para consolidarmos políticas públicas, indicações e nortes de prioridades, através da participação popular. Esse conteúdo, além de gerar produções legislativas locais, e iniciativas governamentais dos executivos, proporcionaria às bancadas federais conteúdos a serem agregados às sessões de comissões tão bem estruturadas no Congresso Nacional, levando assim mais Brasil a Brasília”, completou.

Para a deputada, o Congresso poderia apoiar as demais casas legislativas do país em relação à tecnologia, proporcionando produtividade e oportunidades de acertos com mais rapidez: “É preciso avanços, é preciso mudanças, pois o mundo das redes sociais não espera. Precisamos aproveitar a participação popular, em plenário e a distância, do contrário eles farão ao seu modo, a sua necessidade, sem o nosso apoio e participação, pois a imperiosidade dos novos tempos assim caminha”.

Sessões especiais

No discurso, Jó também citou algumas das sessões especiais que organizou ou apenas participou, a exemplo da realizada nesta segunda-feira (22), sobre o autismo, proposta pelo deputado Léo Loureiro; a que discutiu o Pinheiro, por iniciativa do deputado Cabo Bebeto; o impacto da Medida Provisória 871 na atuação dos sindicatos rurais nas questões previdenciárias, organizada pela deputada Ângela Garrote; a sessão especial sobre o glaucoma, proposta pelo deputado Davi Davino; e a discussão, organizada pela bancada feminina, acerca da violência contra a mulher e o papel do poder público no seu enfrentamento.

A parlamentar lembrou ainda as sessões acerca do Golpe do diploma, proposta pelo deputado Marcelo Beltrão; sobre a Educação infantil no contexto do Plano Estadual de Educação, de autoria dela; a falta de água em Alagoas (Cabo Bebeto); o tema drogas e violência, trazido pelo deputado Ricardo Nezinho; e a discussão sobre o combate ao câncer, proposta pela deputada Fátima Canuto, “causa que esta Casa já evidencia desde o orçamento passado, aprovando seguidamente a ampliação do orçamento da saúde em mais de 100 milhões”, pontuou.

“Relembradas estas audiências e tantas outras que já estão agendadas, fica marcante a contribuição que esta Casa está dando a temas tão importantes para nós, alagoanos e alagoanas. Podemos ir além e observar com clareza que estas sessões especiais não têm nenhum propósito de atacar pessoas, posturas, omissões ou governos, e sim debatermos situações, problemas reais do nosso cotidiano, para juntos construirmos pontes com a sociedade, produção legislativa a favor desta sociedade, indicações do legislativo ao executivo e também produção no executivo”, finalizou.

Apartes

Em aparte, o deputado Bruno Toledo elogiou a fala de Jó Pereira acerca de Tavares Bastos, concordando que o patrono da Assembleia transcende seu tempo: “Estamos falando de assuntos que estão em moda hoje em dia, mas já eram tratados por ele naquele tempo, como a descentralização de poder, respeitando questões regionais... Tavares Bastos tinha em sua veia a defesa da liberdade individual, era abolicionista e merece nosso reconhecimento”, afirmou, sugerindo a reedição, pelo parlamento, de outras obras do ilustre alagoano, além da mais conhecida delas, A Província.

Também em aparte, o deputado Davi Maia destacou a importância de Tavares Bastos para o Brasil, classificando-o de “o primeiro liberal da política alagoana”. “Agradeço ao ex-presidente da Casa, Fernando Toledo, por ter republicado A Província e a biografia de Tavares Bastos, ainda tão pouco divulgada... Todos os alagoanos deveriam saber e reconhecer a importância de Tavares Bastos, alagoano ilustre e escreveu seu nome na história do País”, sugeriu.