Foto: Vinícius Firmino-Ascom ALE Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputada Jó Pereira

De acordo com uma fala do deputado estadual e líder do governo, Sílvio Camelo (PV), a derrubada do veto do governador Renan Filho (MDB) a uma emenda que destinava mais recursos à Saúde (o assunto foi debatido aqui nesse blog em postagens anteriores) ficou na conta da articulação da deputada estadual Jó Pereira (MDB).

Pereira é do mesmo partido do governador Renan Filho e faz parte da base aliada – já que seu irmão, Fernando Palmeira, assumiu a pasta do Meio Ambiente – mas isso não impediu a parlamentar de articular junto aos pares e impor uma derrota ao Executivo estadual. Isso incomodou o deputado estadual e tio do governador, Olavo Calheiros (MDB).

Olavo Calheiros classificou a ação de Jó Pereira como um movimento de “opositor”. Ele disse que ela era mais oposição que Davi Maia (Democratas) e Bruno Toledo (PROS), que são oposição assumida. O papel decisivo da parlamentar ficou claro na mais recente declaração de Camelo ao jornalista Edivaldo Júnior, em seu blog no Gazetaweb.

Camelo disse que “a deputada Jó Pereira fez um trabalho com os colegas e conseguiu convencer a maioria dos deputados da necessidade de derrubar o veto. A Casa entendeu que não haverá prejuízos para o Estado e decidiu de forma democrática e independente por sua derrubada”, colocou.

O detalhe é que Sílvio Camelo também votou pela derrubada. O único voto contrário foi o de Olavo Calheiros. Nos bastidores, dizem que o deputado do PV errou o voto, cometeu um equívoco na hora de apertar o botão de votação e chegou a levar as mãos à cabeça em desespero. Mas, aí já era...

É uma derrota para o governo Renan Filho. O impacto disso é outra história. Pode ser que não tenha desdobramentos e seja um caso isolado. Mas, há muito que se diz que a vida do governador não será tão fácil na atual legislatura, pois até entre os governistas há quem queira bancar maior independência por não se sentir tão contemplado pelo Palácio República dos Palmares.

Camelo – entretanto – negou, também nessa entrevista ao jornalista Edivaldo Júnior, que a derrubada do veto seja motivo de crise entre o Legislativo e o Executivo. É de se concordar. Afinal, é pouco motivo para tanto, já que outros vetos passaram.

Agora, a repercussão dessa votação em específico teve impacto, já que aliados que possuem espaço no primeiro escalão resolveram ficar do lado oposto de Renan Filho.

É o caso de Jó Pereira, mas é também o caso de Fátima Canuto (PRTB). Em todo caso, se Pereira foi mesmo a articuladora, ela sozinha colocou o MDB no bolso.

Estou no twitter: @lulavilar