Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Publicações

Nesta segunda-feira, dia 08, o advogado Adriano Argolo, investigado no inquérito que apura notícias fraudulentas, ameaças e ofensas feitas ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e seus familiares, prestou depoimento à Polícia Federal. Em áudio divulgado no WhatsApp, o advogado reforçou que as postagens relacionadas a ele são falsas.

Argolo afirmou que não possui conta no Facebook, rede social na qual, segundo ele, surgiram as publicações. “Boa tarde a todos e a todas, quem fala aqui é o Adriano Argolo. Acabo de sair da Polícia Federal, onde foi colhido o meu depoimento. Todas as acusações que foram feitas contra mim eu provei que eram falsas. Os posts ameaçadores ao ministro do Supremo Tribunal Federal e aos seus familiares foram feitas pelo Facebook e eu, simplesmente, nunca tive um. As minhas postagens no Twitter são claras e transparentes... Nada daquilo que eu estou sendo acusado fui eu que escrevi.”, informou no áudio.

O advogado também autorizou o compartilhamento do áudio nas redes sociais: “Estou tranquilo. Sou inocente e comprovei isso. Essas postagens foram feitas no Facebook para me incriminar. Peço a vocês que compartilhem o meu áudio em qualquer grupo... Fizeram uma denúncia caluniosa contra mim e, provavelmente, isso partiu daqui de Alagoas, mas já temos um indicativo de quem fez isso, agora cabe à polícia investigar”, concluiu.

O caso

Conforme informações contidas no mandado, o advogado alagoano publicou em suas redes sociais uma mensagem ameaçadora contra o ministro Dias Toffoli, que determinou a abertura do inquérito. Os agentes federais cumpriram o mandado e recolheram aparelhos eletrônicos do advogado, que nega o envolvimento.

*Estagiária sob supervisão da editoria