Foto: Maciel Rufino - Cada Minuto B74a60e3 de29 45d4 97a6 d490bf197695 Cibele Moura

Ela é considerada a deputada mais jovem do país e foi eleita nas últimas eleições com 37.824 votos. Cibele Moura (PSDB) faz parte da maior bancada feminina da história de Alagoas e representa a “renovação do Parlamento alagoano”.

O Cada Minuto entrevista conversou com a deputada estadual Cibele Moura que reafirmou a sua responsabilidade como a parlamentar mais nova da Assembleia Legislativa. Cibele disse que o jovem não está para brincadeira e que não se considera nem governo e nem oposição, mas sim independente.

Confira abaixo a entrevista com a deputada estadual:

1) Como você avalia ser a deputada mais jovem do país?

É uma responsabilidade a mais já que fui eleita com 21 anos. Eu chego à Assembleia e venho dizendo isso nas entrevistas e discursos não só representando a voz da Cibele. Uma declaração minha, uma fala, tudo que faço aqui dentro repercute para o jovem alagoano como todo. Nós temos que mostrar que somos capazes e que a juventude não está de brincadeira, somos jovens, mas não estamos brincando. É muito satisfatório ser a deputada mais jovem do país, mas isso causa algumas responsabilidades. A gente tem que pautar que a educação tem que ser prioridade, que o jovem não tem emprego hoje. Que quando ele termina sua escola, quando consegue terminar, e olha para o mercado de trabalho ele não consegue entrar. São essas pautas e bandeiras que passam a ser prioridade no meu mandato.

2) Como você tem avaliado seu mandato e quais são os projetos que você quer levar para ALE?

Tenho avaliado meu mandato como positivo. Ouço as pessoas perguntarem se estou gostando de estar na Assembleia. Estou feliz de levantar e efetivar algumas bandeiras. O primeiro projeto do ano foi meu que coloca o empreendedorismo dentro das escolas. Aí nós voltamos para o ponto anterior: que é o que o jovem sai da escola e precisa saber o que fazer. Ele precisa ganhar dinheiro, ele tem que colocar comida em casa. 

O meu mandato tem que estar visando resolver os problemas. Também protocolei um projeto de lei e uma indicação com o objetivo de assegurar mais proteção e celeridade no atendimento às mulheres vítimas de violência no Estado. O Projeto de Lei nº 28/2019 determina a obrigatoriedade da divulgação da Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180 e do Serviço de Denúncia de Violações aos Direitos Humanos - Disque 100 nos estabelecimentos de acesso público que especifica. Já na indicação (56/2019) faço um apelo ao governador Renan Filho (MDB) para que seja determinada a elaboração de estudos e adoção de providências, em caráter de urgência, visando à instalação e manutenção de equipe de abordagem psicossocial, composta pelo menos por um psicólogo e um assistente social além de um defensor público, em todas as delegacias especializadas no atendimento às mulheres.

3) Como é para você ser mulher, jovem e participar da maior bancada feminina da história?

Acredito que a mulher está tendo uma voz maior dentro da Assembleia por ter cinco deputadas. Mas, eu disse em um pronunciamento que ainda é pouco. Como mulher temos direito de participar da política apenas há 85 anos, não tem nem 100 anos. Então é algo muito recente, novo. A primeira mulher foi eleita há 85/86 anos... De uma deputada, 86 anos depois, nós temos cinco deputadas na Assembleia. É bom, é um número expressivo para Casa e para história política. Mas de 27 termos cinco é pouco. Nós somos cinco deputadas... Vamos lutar para que as cinco consigam representar todas as mulheres de Alagoas e também vamos lutar para que na próxima legislatura nós tenhamos mais de cinco ou quantas forem necessárias para mudarmos a história da mulher alagoana que tem sua primeira jornada, segunda, terceira. Temos que estar vigilante para resolver os problemas dela, para resolver a creche que não tem no bairro dela, para resolver a violência contra mulher que é cometida todos os dias. E nós, como poder público, precisamos estar vigilantes e atentos cobrando que as melhorias sejam feitas.

4)  Você se considera oposição ao Governo?

Não.  Eu sou independente.  Acredito no trabalho do governador Renan Filho e disse em algumas entrevistas que votei nele, mas dentro da Casa eu chego com as minhas bandeiras, minhas pautas e minhas prioridades. Eu votarei com o governo quando assim achar necessário e votarei contra com o governo quando achar necessário. Dentro da ALE não sou situação e nem oposição, sou Cibele Moura e vou seguir fazendo o que acredito que seja melhor para Alagoas.