Foto: Divulgação
STF

O advogado Adriano Argolo está sendo investigado no inquérito que apura notícias fraudulentas, ameaças e ofensas feitas a ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e seus familiares. Na manhã desta quinta-feira (21), agentes da Polícia Federal em Alagoas cumpriram um mandado de busca e apreensão em sua residência, expedido pelo ministro Alexandre de Moraes.

Conforme informações contidas no mandado, o advogado alagoano publicou em suas redes sociais uma mensagem ameaçadora contra o ministro Dias Toffoli, que determinou a abertura do inquérito. Os agentes federais cumpriram o mandado e recolheram aparelhos eletrônicos do advogado, que nega o envolvimento.

Para TV Gazeta, Adriano Argolo afirmou que sempre foi muito ativo nas redes sociais e pertinente quanto as suas críticas feitas a diversos assuntos nacionais, mas que nunca fez nenhuma ameaça aos ministros do STF.

Segundo ele, a mensagem que resultou no mandado de busca e apreensão é referente a uma postagem comentando que o “eu gostaria de ir ao Supremo Tribunal Federal e na sessão dar um tiro nas costas do ministro Dias Toffoli”. Argolo acredita que sua conta tenha sido clonada.

Ainda segundo o advogado, a postagem foi realizada no dia 14 de novembro, no entanto o ano não foi informado, mas ele se colocou à disposição para mostrar as contas nas redes sociais para demonstrar que a postagem não foi feito por ele.

Além desse mandado cumprido em Alagoas, os agentes da Polícia Federal cumprem mandados em outros estados.

*Com informações da TV Gazeta.