Marcos Oliveira/Agência Senado/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Senador Rodrigo Cunha

São fortes e repercutiram em toda a imprensa, e nas redes sociais, as declarações dadas pelo senador Rodrigo Cunha (PSDB) em relação ao Pinheiro, nesta sexta-feira (15). Em entrevista concedida ao jornalista Ricardo Mota, no programa Doze e Dez Notícias, na Rádio Pajuçara, Cunha disse que a situação do bairro é “gravíssima” e, pelo que ouviu de especialistas nos últimos dias, o caso “passou da luz amarela para a luz vermelha”.

O senador contou que conversou esta semana com geólogos do CPRM (Serviço Geológico do Brasil) e com integrantes da Secretaria Nacional de Defesa Civil e do Ministério do Desenvolvimento Regional, e os três órgãos disseram a mesma coisa: “É uma catástrofe anunciada”.

Os geólogos estimaram um prazo de 15 dias para a entrega do relatório final confirmando a suspeita da extrema gravidade da situação, que pode tornar o bairro “inabitável”. Também nas palavras reproduzidas por Cunha, há a suspeita de que os problemas tenham sido realmente causados pela mineração no local.

Lembrando ao jornalista que as informações não são “Fake News”, Rodrigo acrescentou que foi demonstrado que o bairro continua afundando e a situação não se estabilizou.  

Ele acrescentou que ouviu do próprio secretário da Defesa Civil que o caso do bairro alagoano é a prioridade absoluta da pasta, ultrapassando as barragens.