Cortesia assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Vistoria à Central de Flagrantes

Atualizada às 17h29

Após denúncia de que os presos estariam convivendo com roedores e insetos e de falta de itens de higiene pessoal, a defensoria Pública esteve nesta sexta-feira, dia 15, vistoriando as instalações da central de Flagrantes I, no bairro do Farol. 

Conforma a assessoria de Comunicação da pasta, o defensor público do Núcleo de Tutela Coletiva da Defensoria Pública do Estado (DPE/AL), Othoniel Pinheiro Neto esteve no local e constatou péssimas condições de higiene na unidade.

Ao chegar na Central, os presos informaram que precisam jogar os restos de comida no corredor das celas para se livrar de animais como ratos e baratas.

A inspeção também serviu para avaliar a situação dos alimentos e a quantidade de presos que estão no local. De acordo com a Chefia de Operações, os detentos têm três refeições ao dia e o limite máximo de internos não ultrapassa 24, conforme decisão judicial.

Diante dos fatos apresentados, o defensor público abrirá procedimento administrativo para investigar a situação de insalubridade no local.

A Delegacia Geral da Polícia Civil (PC) comentou que até o momento, não recebeu nenhum documento da Defensoria Pública sobre problemas na Central de Flagrantes 1, localizada no bairro do Farol, em Maceió.

No entanto, a direção da PC disse que os detidos recolhidos na unidade plantonista, após se alimentarem, colocam os restos das marmitas no chão, no raio em frente às celas, e a funcionária responsável pela limpeza em seguida limpa tudo. Sempre depois das refeições.

Quanto a insetos, nunca houve uma reclamação sequer. Inclusive, os alojamentos dos policiais ficam no mesmo andar. E entre o xadrez e o alojamento fica a cozinha que a equipe policial de plantão utiliza para fazer as refeições.

Esclarece que os presos custodiados no local ficam na Central de Flagrantes temporariamente, em média, por 24 horas ou 48 horas, enquanto aguardam transferência para o sistema prisional, visto que a unidade plantonista não é penitenciária, mas sim, apenas um local de passagem para os detidos enquanto são realizados os procedimentos policiais cabíveis, no caso os flagrantes.

A direção da Polícia Civil informou ainda que estão sendo feitas mudanças administrativas na Central de Flagrantes 1, onde recentemente foi designada, para a coordenação administrativa do local, uma policial com larga experiência neste tipo de unidade policial, que por longos anos administrou a Casa de Custódia, visando proporcionar uma melhoria no que diz respeito as questões administrativas na Central de Flagrantes. E que vê como muito importante a visita da Defensoria Pública para que, em conjunto, sejam encontradas medidas que permitam melhorar cada vez mais o tratamento do custodiado.

*Com assessoria.