6db92048 8714 4d68 87ad 2585254fe8e7

O menino, na época, tinha oito anos e vinha sendo, constantemente, estuprado por quatro adolescentes, com idades entre 14 e 17 anos, filhos de família da alta sociedade, da cidade de João Pessoa, capital da Paraíba,

Os adolescentes, com a ajuda do zelador da época, que teria participado ativamente dos abusos, estupravam o menino no banheiro do famoso Colégio Geo Tambaú,uma das escolas de elite mais renomadas da cidade.

O caso só veio à tona porque a escola avisou aos responsáveis pela criança, que o menino apresentava comportamento agressivo e de isolamento, além de idas constantes ao banheiro.

A família conversou com a criança, e ela confessou que estava sofrendo abusos.

A família, imediatamente, alertou a escola, pediu providências e levou o caso até a polícia. O caso, que aconteceu em maio de 2018, foi para o âmbito judiciário e, só agora, foi determinada a apreensão dos quatro adolescentes. Foram levados para o Centro Educacional do Adolescente (CEA). Um deles fugiu.

Para “preservar” a identidade dos adolescentes o caso está sob sigilo da justiça.

E  em um áudio vazado de uma suposta reunião ocorrida na segunda-feira (11/03) entre pais de alunos e a diretoria do colégio Geo mostra que a escola teria abafado o suposto caso de abuso sexual. O áudio mostra ainda a revolta de muitos pais porque a escola não informou sobre o fato, não tomou providências e anunciou medidas , para que alunos sejam acompanhados por um adulto quando forem ao banheiro.

 

Mais informações: http://www.polemicaparaiba.com.br/polemicas/caso-geo-audio-vazado-de-reuniao-com-pais-de-alunos-mostra-que-escola-teria-abafado-abuso-sexual/