Imagem do vídeo que registrou a vergonhosa cena 9e40b931 c087 4f0d be23 f80006b3fd74 Leopoldo (óculos) descontrolado e Leandro impedindo o aterramento do poço

Uma acirrada discursão com empurra-empurra e tudo mais, entre o prefeito Leopoldo Pedrosa e o vereador Leandro Batista, por causa da construção de um poço artesiano, resultou numa triste cena de violência na cidade de Maribondo/AL, por volta das 9h desta terça-feira. O gestor que detém fama de violento, razão de ter passado cerca de quatro meses preso em 2017, por ter agredido a própria esposa e a sogra; chegou a dá um murro em Leandro Batista; só que o alvo  do soco não foi alcançado, mas sobrou em cheio para seu secretário de Gabinete, Valdemar, que na ocasião tentava acalmar os ânimos.    

 “Ele me deu sinal verde para investir na Associação, cujo prédio que é do município está conosco como comodato há muito tempo e vai até o ano de 2023. Pois, por conta de tanta ‘generosidade’ do prefeito  resolvemos construir  nesses dias  um poço artesiano com 52 metros de profundidade, em parceria com alguns vizinhos; visto que Maribondo enfrenta sérios problemas de falta d’água nas torneiras por parte da Casal. Mas, para a minha surpresa, o homem chegou hoje violento, dizendo que não autorizou a obra, já ávido para aterrar o poço com uma pá, foi quando eu tentei barrá-lo. Aí começou a confusão”, disse Leandro, que levou o caso para a Delegacia local, a fim de pedir, segundo ele, amparo policial por ter sido ameaçado. “Fiz o B.O, e recebi apoio de solidariedade da maioria da nossa bancada”, finalizou Leandro.

Segundo o vereador Leandro Batista, na sexta-feira que antecedeu o Carnaval esteve com o prefeito, a fim de convidá-lo para inauguração da nova estrutura da sede da Associação dos Deficientes Físicos, onde funciona o Centro de Reabilitação Física, que atende aos oito municípios da 8ª Região de Saúde de Alagoas. A inauguração será na próxima sexta, e a construção do poço artesiano faz parte dos investimentos para melhoria dos serviços do órgão, que diariamente atende a mais de 300 pacientes e que conta com uma plataforma de 40 funcionários, assegurados por meio de recursos federais.