Guerra no Judiciário:Desembargador e Presidente do TJ entram em choque por conta de greve no Detran

  • Redação
  • 14/10/2009 03:38
  • Maceió

Um tremendo mal-estar nos bastidores do Judiciário, este era o clima no final da tarde de ontem após o desembargador James Magalhães explicitar não só a sua decisão de tornar legal a greve dos funcionários do Detran, que inclusive já havia sido finalizada, como o seu desagrado pelo fato da presidente do TJ Elizabeth Carvalho ter reformado sua primeira decisão e tornado ilegal a greve.

Tudo começou quando os funcionários do Detran entraram em greve e o presidente do órgão e ex-desembargador Antonio Sapucaia reagiu com veemência expondo que o sindicato é “pirata” ou irregular e pedindo junto a procuradoria do Estado a ilegalidade da greve.

Em uma decisão controversa, ainda mais pela estreita ligação do desembargador James Magalhães com alguns funcionários ele decretou a legalidade da greve mesmo depois de ter sido constatada diversas irregularidades na condução do movimento.

A presidente do TJ, Elizabeth Carvalho entrou em cena e alegando que a greve estaria prejudicando a população reformou a decisão do desembargador e declarou a greve ilegal, o que foi fundamental para o fim do movimento.

Foi quando o presidente do Detran Antonio Sapucaia exigiu o corte dos dias parados ou a reposição dos mesmos e o movimento marcou uma nova assembléia para hoje onde uma nova greve pode ser deliberada, aí entrou em cena de novo o desembargador James Magalhães que declarou mais uma vez a legalidade da greve, expôs seu descontentamento com Elizabeth e praticamente referendou uma nova greve que pode ser definida ainda hoje.

O Cadaminuto tentou entrar em contato tanto com Elizabeth Carvalho como com James Magalhães sem sucesso e acompanhará a assembléia do sindicato do Detran que define se os funcionários entrarão ou não em greve.