Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Inspeção para verificar o cumprimento de decisão judicial apontou a falta de 54 medicamentos.

O Conselho Regional de Medicina de Alagoas (CREMAL) junto com o Ministério Público Estadual (MPE) irão investigar a morte de pacientes com meningite internados nos hospitais públicos de Alagoas. Segundo o presidente do CREMAL, o conselho foi informado do fato através do Ministério Público e está aguardando o envio de documentos que comprovem estas mortes para que possa auxiliar na investigação.

Segundo o presidente do Cremal, Fernando Pedrosa, nenhuma afirmação pode ser dita de maneira precipitada. “Não sabemos se essas mortes tem diretamente ligação com a falta de insumos, por isso tudo deve ser devidamente apurado” afirmou.

Durante uma inspeção, a Defensoria Pública verificou que foram registrados óbitos por meningite no Hospital Helvio Auto no último mês.  A relação entre a falta do medicamento e os casos de óbitos deverão ser objetos de apuração.

Fernando Pedrosa também lamentou que a falta de insumos no Hospital Hélvio Auto tenha que depender da judicialização, mas entende que não há outra maneira no atual momento.

“Quando se falta insumos e a Uncisal não dispõem de recursos, é solicitado a Secretaria de Estado da Saúde e nesse intervalo de tempo há tramites burocráticos que requerem tempo e às vezes a única solução para agilizar isso é com a intervenção judicial”.

O Conselho aguarda que a apuração dos fatos seja executada e posteriormente as medidas cabíveis sejam tomadas contra os responsáveis.

*Estagiário com supervisão da editoria.