Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Depois da inspeção da Defensoria Pública do Estado constatar  o desabastecimento de 54 medicamentos e insumos na farmácia do Hospital Escola Dr. Hélvio Auto, a  Universidade Estadual de Ciência da Saúde em Alagoas (Uncisal) responsável pela administração da unidade, informou que as ausência dos medicamentos foi provocado por atrasos do fundo estadual de saúde.

Por meio de nota, a Uncisal salientou que todas medidas estão sendo tomadas para regularização  dos medicamento. No entanto, rebateu a informação de que existe a falta de medicamento para tratar a meningite, o que segundo a Defensoria Pública, pode ter contribuindo para a morte de alguns pacientes.

“Não há falta de antibióticos contra meningite, conforme relatado. O antibiótico Ceftriaxona, primeira escolha medicamentosa em alguns casos, está sendo substituído por outras drogas similares, uma vez que existem diversas opções terapêuticas para tratar a patologia. Como ocorre com recorrência na indústria farmacêutica, o medicamento em questão deixou de ser fabricado por alguns laboratórios, dificultando a compra por processos como normalmente é realizado nas instâncias públicas”, diz um trecho da nota.

De acordo com a Uncisal, alguns procedimentos estão sendo realizados somente em pacientes internos, além de ser feita a permuta com hospitais parceiros para manter o atendimento.

Confira a  nota na integra:

 - Os pacientes com os diversos tipos de meningite estão sendo atendidos e tratados pela unidade de saúde normalmente. Não há falta de antibióticos contra meningite, conforme relatado. O antibiótico Ceftriaxona, primeira escolha medicamentosa em alguns casos, está sendo substituído por outras drogas similares, uma vez que existem diversas opções terapêuticas para tratar a patologia. Como ocorre com recorrência na indústria farmacêutica, o medicamento em questão deixou de ser fabricado por alguns laboratórios, dificultando a compra por processos como normalmente é realizado nas instâncias públicas;

- Exames de endoscopia e colonoscopia estão sendo realizados para os pacientes internos. Os exames externos estão suspensos até a chegada de materiais que já foram solicitados;

- Ultrassonografias também estão sendo realizadas para os pacientes internos;

- As hemodiálises estão sendo feitas, quando há necessidade, nos pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), dentro da normalidade. Por meio de permuta de materiais com outros hospitais públicos;

- As dificuldades de abastecimento nas unidades assistenciais da Uncisal são decorrentes do retardo de repasses do fundo estadual de saúde, entretanto todas as medidas estão sendo tomadas para a regularização do abastecimento.

O Hospital Escola Dr. Helvio Auto, referência no tratamento de doenças infectocontagiosas no estado de Alagoas, reafirma seu dever com a população por meio da transparência e responsabilidade com a saúde de seus pacientes.