Foto: Gabriela Flores/CM/Arquivo 13880904551473 Coronel Ivon Berto

Na Coluna Labafero, aqui do CadaMinuto, há a informação de que o secretário municipal de Segurança Comunitária, coronel Ivon Berto, vai deixar a pasta. Conversei com um nome próximo do prefeito Rui Palmeira (PSDB) que confirmou tal fato.

Segundo ele, Ivon Berto já chegou a conversar com as pessoas de sua equipe na administração municipal e deixou claro que não deixa o cargo por vontade própria, mas em função das composições políticas.

O coronel Ivon Berto foi candidato a vice-prefeito nas eleições municipais passadas ao lado de Paulo Memória. Na época pelo PTC, quando o partido abrigava o senador Fernando Collor de Mello. De lá pra cá, Collor mudou de legenda: foi para o PTB e agora está no PROS.

No segundo turno daquela eleição, Berto apoiou Rui Palmeira em oposição ao ex-deputado federal Cícero Almeida. Naquele momento, Berto era visto como um nome muito ligado ao senador Collor. Nos bastidores, a pergunta tem sido a seguinte: a saída de Berto significa um afastamento entre Rui Palmeira e Fernando Collor de Mello?

Apesar de cedo, grupos políticos já se organizam pensando na disputa de 2020, quando a Prefeitura Municipal de Maceió estará em jogo. Vale lembrar que, em 2018, Collor ensaiou uma candidatura ao governo em uma coligação com o PSDB. Muitos tucanos debandaram do apoio a Collor. Rui Palmeira participou timidamente do processo eleitoral.

Resultado: Collor desistiu da candidatura.

Em relação a Ivon Berto, a fonte com quem conversei disse que o secretário se estruturava visando uma candidatura à Câmara Municipal de Maceió. Estar em um grupo político facilita esse caminho. Logo, a pasta era uma vitrine para muita coisa.

Por outro lado, outra fonte da gestão municipal diz que não há qualquer sinal de rompimento político e que a mudança de secretário não sinaliza isso. Diz até que a possível troca foi acordada com Collor.

Em todo caso, Rui Palmeira tem dois anos pela frente para construir um candidato à Prefeitura de Maceió. Dentro de seu grupo não faltam nomes: há o vice-prefeito Marcelo Palmeira (PP) e o secretário de Saúde, Thomaz Nonô (Democratas), dentre outros.

Por falar em Nonô, há quem diga que ele vem sendo estimulado por forças externas à Prefeitura de Maceió, como é o caso do deputado estadual Marcelo Victor (SDD), que hoje preside a Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas.

Estou no twitter: @lulavilar