Assessoria 443bd44b 430e 47db aad3 8c0e78cf48a6

A Associação Pestalozzi de Maceió usa a Fisioterapia Aquática para auxiliar no tratamento de crianças com deficiência, sendo indicada para todas as áreas da fisioterapia que envolve problemas ortopédicos, esportivos, estéticos, neurológicos, reumáticos e respiratórios.


As patologias mais comuns que podem ser tratadas por meio da hidroterapia são: artrose, AVC, hérnia de disco, luxações, fraturas e paralisia cerebral, entre outros. 


Na estimulação precoce, crianças com a síndrome congênita do Zika vírus (microcefalia) atendidas no Centro Especializado em Reabilitação – CER IV também passam pela Fisioterapia Aquática, com o objetivo de proporcionar experiências que em muitos casos não são possíveis, como: rolar no solo, caminhar, amplitude de movimentos, além de melhorar as reações de equilíbrio, coordenação e postura.


De acordo com o fisioterapeuta Elissandro Bento, todas as pessoas com deficiência física ou intelectual podem utilizar a fisioterapia aquática com fins psicológicos, já que a água traz benefícios que favorecem a autoestima e a sensação de bem-estar do indivíduo. “No momento que a pessoa está fazendo o tratamento é nítido a sensação de prazer e de bem-estar”, afirma o fisioterapeuta.


Nas grávidas, a hidroterapia melhora a circulação sanguínea, fortalecimento dos músculos, a melhoria na respiração, o relaxamento muscular, a perda de urina involuntária e alivia as tensões ocasionadas pela mudança postural.


É importante frisar que a fisioterapia aquática da Associação Pestalozzi oferece uma piscina climatizada que proporciona maior conforto para idosos e crianças menores, uma vez que a sensação térmica ajuda na realização das atividades aquáticas.


“A fisioterapia Aquática ajuda na amplitude da capacidade respiratória, diminuindo o tempo de tratamento e de resposta nos processos alérgicos de vias aéreas superiores, de crianças e adultos que tenham dificuldades na respiração”, explica a Drª Alice Athayde, diretora de saúde da Associação Pestalozzi de Maceió.


A diretora ainda enfatiza a importância da socialização dos usuários, o bem-estar físico, psicológico e a alegria das crianças quando estão em contato com a água.