Foto: Vnessa Alencar/Foto: Vanessa Alencar/CadaMinuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Francisco Tenório

Ao repercutir a patacoada (para usar um termo leve) que tomou conta do Senado ontem e neste sábado (2), o deputado estadual Francisco Tenório lembrou de um PEC apresentada por ele em 2009, quando foi deputado federal. 

A proposta institui o unicameralismo no Brasil, ou seja: extingue o Senado e a Câmara dos Deputados, substituindo as duas casas por um Congresso Nacional unificado, com congressistas eleitos para um mandato de cinco anos.

Para ele, a mudança - que foi arquivada na CCJ da Câmara - poderia evitar os episódios de ontem e hoje, aos quais os brasileiros assistiram, entre atônitos e incrédulos.

"Tudo que houve no Senado é nulo e se for levado à judicialização é nova eleição. Foi uma vergonha a forma como se deu a escolha do presidente do Congresso Nacional. Nada contra o Davi (Alcolumbre), mas todo o processo foi vergonhoso, ilegal e inconstitucional, em desrespeito ao STF. Eu não me orgulharia de ser presidente no lugar do Davi", analisou o parlamentar.

Criticando a bagunça em que se transformou a eleição no Senado, reduzida a "um pleito de grêmio estudantil ou associação de bairro", Tenório lembrou que o Congresso unificado teria uma responsabilidade maior, representando o povo e os estados.

O parlamentar citou ainda outro problema do atual modelo: o choque de interesses: "Não há dúvida que a eleição para a presidência da Câmara, ocorrida antes, influiu na do Senado, onde os dois eleitos são do mesmo partido, o DEM... A eleição do Senado foi tão ridícula que o candidato considerado mais forte renunciou".

O deputado explicou também que, diferentemente de outros países, o Brasil é o único no mundo com esse modelo bicameral concorrente, onde uma casa concorre com a outra. "A mudança não traria prejuízo ao país, mas uma enorme economia, basta ver os orçamentos das duas casas. Seria uma economia financeira e processual, pois hoje há processos que tramitam há 20 anos", frisou, em entrevista ao blog.