Foto: Bruno Levy/Cada Minuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Rachaduras nas ruas do Pinheiro

Foi antecipado em uma semana, do dia 23 de fevereiro para o dia 16 do mesmo mês, o simulado de evacuação que será realizado no bairro Pinheiro, em Maceió. A decisão foi tomada durante reunião ocorrida nesta quarta-feira (23), na sede do 59º Batalhão de Infantaria Motorizada (BIMtz), com representantes de vários órgãos, a exemplo da Defesa Civil Estadual e Municipal, Forças Armadas e Corpo de Bombeiros Militar.

A mudança foi confirmada ao CadaMinuto pela assessoria de Comunicação da Defesa Civil de Maceió.

O simulado de contingência contará com aproximadamente 600 ‘atores’, além dos órgãos envolvidos e a estimativa da Defesa Civil Estadual é que, caso o plano precise ser colocado em prática, toda a população do Pinheiro seja evacuada em 45 minutos.

O plano foi apresentado na sexta-feira passada, no Palácio República dos Palmares, pela Defesa Civil Estadual. Conforme o planejamento, são seis os pontos fora da área de risco para onde os moradores devem se dirigir em caso de emergência: o Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa); Hyundai; estacionamento da Casa Vieira; Terminal de ônibus do Hospital Sanatório; Praça Lucena Maranhão e Instituto do Meio Ambiente (IMA).

Segundo a Defesa Civil, 493 imóveis estão na área considerada de “muito alto risco”, representando um total 1.824 moradores. Caso haja emergência, a Avenida Fernandes Lima será a rota principal para levar a população para os pontos estratégicos.

A área de que concentra maior risco já está sendo evacuada e cerca de 190 famílias já foram retiradas, totalizando 500 imóveis. No total, as rachaduras nos imóveis e ruas do Pinheiro afetaram 20.099 moradores da região.

O plano de contingência será acionado em três casos: quando os técnicos da Defesa Civil constatarem riscos que evidenciem necessidade de evacuação; quando houver previsão meteorológica que apresente a possibilidade real de ocorrência de eventos que possam causar danos à população sob o monitoramento da Coordenadoria Estadual e quando forem constatados, pelos técnicos, danos humanos.