32d6d106 357e 473d a37d 071638928146

A reforma do secretariado - já anunciada pelo governador Renan Filho (MDB) para fevereiro - pode acabar ajudando ao ex-governador e deputado federal Ronaldo Lessa (PDT). Lessa foi candidato à reeleição para a Câmara de Deputados, mas acabou perdendo nas urnas. Amargou a primeira suplência.

Porém, com a reforma nas pastas do Executivo, o deputado federal reeleito Marx Beltrão (PSD) pode assumir uma secretaria. Com isso, Lessa assumiria uma das cadeiras da bancada federal de Alagoas. De acordo com o jornalista e blogueiro Edivaldo Júnior (Gazetaweb), Beltrão e Renan Filho confirmaram o entendimento para que o deputado federal e ex-ministro do Turismo se tornasse secretário.

Edivaldo Júnior conversou com ambos em um evento organizado pelo senador Renan Calheiros (MDB).

Ronaldo Lessa e o PDT fazem parte da base do governo. No ano passado, Lessa - que era um aliado do prefeito Rui Palmeira (PSDB) - deixou a base da Prefeitura Municipal para retornar ao Palácio República dos Palmares. O ex-governador, com isso, ganhou a Agência Reguladora dos Serviços Públicos de Alagoas (ARSAL).

Lessa indicou Laílson Gomes para o cargo de presidente. Se com os acordos, Lessa assumirá o mandato e manterá os espaços no governo é algo que só o futuro dirá. Todavia, foi um aliado de “primeira ordem” do governador Renan Filho no processo eleitoral.

O PDT de Lessa, que já comandou o Estado de Alagoas quando este foi governador, busca espaços para retornar aos seus dias de glória. A ida de Marx Beltrão para o Executivo é uma ajuda e tanto nesse sentido. Afinal, Renan Filho não abriria espaço para quem não fosse seu aliado.

A tarefa maior do governador - que recentemente sofreu uma derrota na articulação pela disputa da presidência da Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas - será remontar o governo atendendo a diversos interesses: 1) os perfis técnicos para determinadas pastas; 2) a contemplação das alianças políticas e 3) a construção de uma base governista no parlamento estadual que permita a aprovação facilitada de projetos do seu interesse.

Segundo bastidores, a relação com alguns deputados estaduais ainda desgastada. Mas, este não é o assunto central desse post.

No caso de Marx Beltrão, conforme o jornalista Edivaldo Júnior, ainda não se sabe qual seria a pasta que ele ocuparia. Sinal de que ou Marx Beltrão é visto como um homem multitarefas, diante da experiência no Ministério do Turismo, ou tudo é uma questão de acomodação que envolve também outras indicações a serem feitas.

Só para lembrar: Beltrão é aquele que sonhou em ser senador, disse que não tiraria a candidatura de jeito algum, mas acabou tirando e colando nos Renans. É isso aí…

Aguardemos.

As pastas cotadas para Marx Beltrão são Agricultura, Saúde ou Assistência Social. Há outros nomes que também buscam espaços após derrotas políticas. Entre eles, está o deputado federal Givaldo Carimbão. Em tempos áureos, Carimbão chegou até a ter uma pasta criada especificamente para seu grupo político. Isto lá no governo tucano de Teotonio Vilela Filho (PSDB), quando surgiu a Secretaria da Paz.

Na gestão de Renan Filho, ela sofreu a mudança para Secretaria de Prevenção à Violência. É que as coisas mudam de nome para continuar sendo o que sempre serão.

Estou no twitter: @lulavilar