Foto: Bruno Levy/Cada Minuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Rachaduras nas ruas do Pinheiro

As rachaduras nas casas e nas ruas do bairro do Pinheiro, em Maceió, chamaram a atenção do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que convocou uma reunião extraordinária nesta sexta-feira (11), em Brasília, com parte da equipe ministerial para conversarem sobre o assunto.

As rachaduras vêm preocupando moradores da região há quase um ano. Por causa disso, algumas casas precisaram ser desocupadas. 

A Prefeitura de Maceió tem buscado explicações para o fenômeno que se iniciou após um tremor na capital, mas até agora nenhum motivo foi apontado como a causa das rachaduras. O Serviço Geológico Nacional também está empenhado em achar respostas para os problemas. 

Em nota, o presidente Bolsonaro, afirma que determinou que "o Governo Federal adote as ações necessárias, para agilizar a identificação do fenômeno e que permitam subsidiar o adequado encaminhamento das medidas que couberem, para a resolução do problema."

A reunião contou com as presenças dos ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque; da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva; do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno; e da Secretaria-Geral, Gustavo Bebianno.

Famílias cadastradas para receber auxílio

As famílias que foram retiradas de seus imóveis por conta das rachaduras no bairro do Pinheiro foram cadastradas para receber o auxílio moradia do Governo Federal, após o decreto de situação de emergência. De acordo com a Secretaria Adjunta Especial de Defesa Civil cerca de 60 famílias que receberam a recomendação, mas esse número pode aumentar.

Hoje, a média estabelecida pela Defesa Civil Nacional para o auxílio moradia é de aproximadamente R$ 450. No entanto, segundo explica Dinário Lemos, a Prefeitura solicitou o valor de R$ 1 mil por família, levando em consideração os dados da renda per capita da região e outras informações provenientes do senso realizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas).

 “A solicitação do recurso já foi encaminhada ao Governo Federal, que deve definir o valor final a ser concedido aos que deixaram seus imóveis. Vamos encaminhar, agora, os cadastros e vamos aguardar a liberação”, completou Lemos.

Leia Mais: Geólogos iniciam mapeamento para identificar causas de rachaduras no Pinheiro