Ascom ALE/Arquivo E3079fb7 faa6 4d8b ab0d 4cbca4dc4a67 Davi Maia

Um vídeo divulgado nas redes sociais onde o deputado estadual eleito Davi Maia critica a parceria entre a Casal e a Prefeitura de Maceió para o combate ao esgoto clandestino gerou uma nota de repúdio por parte de entidades representativas dos funcionários  da Casal, do Clube de Engenharia e da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – seção Alagoas (ABES/AL).

Conforme a nota, as declarações de Maia são “infundadas e mentirosas”: “Quem critica esse tipo de parceria, que só trará benefícios para a população local, os turistas e o meio ambiente, realmente quer o melhor para Maceió?”, questionaram as entidades, em um trecho do documento.

O grupo que assina a nota também afirma que, desde que assumiu a Secretaria de Meio Ambiente de Maceió, o então secretário aproveitou diversas oportunidades para atacar a Casal, fazendo dela seu alvo de acusações “vazias, mentirosas e sem nenhuma apuração técnica”.

Ainda segundo o documento, depois que Maia deixou a pasta para ser candidato, continuou usando os ataques a Casal como bandeira de campanha para angariar votos, além de criticar a companhia por problemas da competência da prefeitura de Maceió e da própria secretaria que ele comandou.

“O hoje deputado ‘se esqueceu’ de mostrar quais ações ele, de fato, fez em prol de evitar o surgimento das chamadas ‘línguas sujas’ nas praias da capital, e continuou atribuindo a Casal todos os problemas relacionados ao saneamento”, destaca outro trecho.

Confira a nota na íntegra:

“Nota de Repúdio às Declarações Mentirosas do Deputado Estadual Recém-eleito Davi Maia nas Redes Sociais

Os funcionários da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), a Associação dos Engenheiros da Casal (Asec), a Associação Recreativa, Esportiva e Cultural da Casal (Arec), o Clube de Engenharia e a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – seção Alagoas (ABES/AL), vêm a público manifestar todo o seu repúdio perante declarações infundadas e mentirosas propagadas em redes sociais pelo senhor Davi Maia, recém-eleito deputado estadual por Alagoas, a respeito da Casal.

Desde que assumiu o comando da pasta municipal de Meio Ambiente, em Maceió, num passado recente, o senhor Davi Maia aproveitou diversas oportunidades para atacar a Casal, fazendo dela seu alvo para desferir acusações sem nenhuma apuração técnica, mesmo possuindo nos quadros da pasta que comandava profissionais de alta capacidade para darem a ele, como principal gestor do órgão, uma avaliação criteriosa dos problemas de saneamento da capital (quando dizemos saneamento, estamos nos referindo a saneamento básico, ou seja: coleta de resíduos sólidos, drenagem de águas pluviais, abastecimento de água e coleta e tratamento de esgoto).

O então secretário mirava na Casal suas declarações vazias e mentirosas, mesmo sabendo que, em várias ocasiões, problemas de meio ambiente eram resultado da própria falta de investimentos do órgão que ele comandava, o qual não fazia, em parceria com outros órgãos municipais, limpeza regular das galerias de águas pluviais que deságuam nas praias nem fiscalização e punição aos particulares (donos de imóveis residenciais e comerciais) que faziam suas ligações clandestinas nas galerias da prefeitura.

Então, muito mais fácil do que admitir que o setor de saneamento básico não tinha recursos financeiros e humanos suficientes para fazer um trabalho à altura da necessidade da capital, tornou-se cômodo jogar a culpa, sempre e irresponsavelmente, na Casal.

O discurso do pretenso político continuou, por meio das redes sociais, quando ele deixou o cargo na gestão municipal e candidatou-se a deputado estadual, usando como bandeira de campanha atacar a Casal para angariar votos.

Drenagem de águas pluviais e limpeza das galerias que deságuam nas praias cabe tão somente à prefeitura, a Casal não opera essas galerias, portanto, nunca foi responsável por sua limpeza e manutenção, que deveriam ser constantes. O hoje deputado “se esqueceu” de mostrar quais ações ele, de fato, fez em prol de evitar o surgimento das chamadas “línguas sujas” nas praias da capital, e continuou atribuindo à Casal todos os problemas relacionados ao saneamento.

Por diversas vezes, técnicos da Companhia encontraram, no passado, ligações clandestinas de águas pluviais nas redes de esgoto, porém, em nenhuma delas, o problema foi atribuído à prefeitura ou à pasta comandada pelo senhor Davi Maia. A Companhia fez o trabalho correto de investigação e chegou aos infratores, desmanchando as ligações clandestinas que prejudicavam a rede de esgoto, sem jamais dizer que, por serem ligações de águas pluviais, a culpa era da prefeitura ou da secretaria comandada por Davi Maia

Por outro lado, atualmente num trabalho de parceria e solidariedade aos técnicos e gestores das pastas municipais que lidam diretamente com as galerias de águas pluviais, a fiscalização e a manutenção dessas estruturas, a Casal trabalha, desde o dia 2 de janeiro, numa cooperação com a Seminfra e a Sedet – pasta que outrora, com outra nomenclatura, fora comandada pelo senhor Davi Maia.

Além de reforçar e apoiar o trabalho da própria prefeitura no cuidado com as galerias que deságuam nas praias, as equipes também intensificaram a fiscalização das ligações clandestinas de águas pluviais nas redes coletoras de esgoto. Esse tipo de situação contribui para o mau funcionamento dessas estruturas, que são operadas pela Casal.

Nesta semana, em mais um vídeo com declarações mentirosas, seguindo o exemplo de propagação de fake news nas redes sociais, o agora deputado eleito critica a parceria entre a Casal, a Sedet e a Seminfra, mesmo sabendo que os três órgãos estão unidos pelo bem comum da sociedade e pelo meio ambiente, por isso, resolveram trabalhar de forma conjunta, somando esforços, recursos financeiros, materiais, humanos, ideias criativas e ações práticas. Quem critica esse tipo de parceria, que só trará benefícios para a população local, os turistas e o meio ambiente, realmente quer o melhor para Maceió?

Portanto, aparentemente, o deputado recém-eleito deve conhecer (porque será sua obrigação com a sociedade que o elegeu) que a Casal, nos últimos quatro anos, vem passando por um processo de recuperação econômico-financeira, atingindo três superávits seguidos, entre 2016 e 2018, algo que não ocorria há 30 anos. Ao mesmo tempo, numa parceria entre o Governo do Estado e a Casal, estão sendo investidos R$ 100 milhões, em recursos próprios da empresa e do Tesouro Estadual, em obras de abastecimento de água e esgotamento sanitário em vários municípios.

Em Maceió, já estão sendo aplicados em esgotamento sanitário mais de R$ 470 milhões, por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) e de uma Locação de Ativos da Casal com as empresas Sanama e Sanema. É o maior investimento já feito em toda a história de Maceió. As obras ocorrem no Tabuleiro do Martins, Benedito Bentes, no Farol e bairros vizinhos. Após os serviços, a cobertura da rede coletora de esgoto vai passar dos atuais 35% para 70%, beneficiando milhares de maceioenses.

Tudo isso está sendo possível graças ao trabalho conjunto da atual Diretoria da empresa, que conta com o apoio do Governo do Estado, respaldada em controles sociais através de Conselhos representativos e órgãos de grande interface com o setor de saneamento, mas principalmente de todos os trabalhadores da Companhia, espalhados pelos 77 municípios em que ela atua, comprometidos com a melhoria da qualidade de vida dos alagoanos, com o meio ambiente equilibrado e com a recuperação da Casal, para que ela continue uma empresa pública, forte e respeitada.

 

Funcionários da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal)

Associação dos Engenheiros da Casal (Asec)

Associação Recreativa, Esportiva e Cultural da Casal (Arec)

Clube de Engenharia

Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – seção Alagoas (ABES/AL)”.