Foto: Divulgação 1256488566universitario Hospital Universitário

O tratamento em pacientes com câncer no Hospital Universitário ( HU-UFAL) segue prejudicado desde novembro diante da ausência de um medicamento essencial para recuperação. Segundo informações colhidas pelo CadaMinuto, vários pacientes estão sem receber o medicamento Vinorelbina 30g, disponibilizado pelo HU.

A medicação é essencial para o tratamento contra a doença e o valor do produto é muito alto, por isso os pacientes não conseguem comprar para manter a regularidade do tratamento. Cada comprimido de Vinorelbina 30g, que equivale a uma quimioterapia, varia entre R$ 185,00 a R$ 322,00 reais.

A situação ficou bastante complicada quando algumas pessoas regrediram no tratamento pela ausência da medicação. Uma paciente - que não quis ser identificada - ouvida pelo CadaMinuto relatou que teve acesso à medicação somente no mês de novembro e que o seu tratamento requer quatro comprimidos por semana. 

"Eu fiz um exame antes e o resultado apresentou uma estabilidade da doença. Agora voltei a sentir os mesmos  sintomas de antes. O médico já passou novos exames para saber como meu corpo está reagindo sem a medicação", contou a paciente. Mesmo a procura diária no setor de farmácia do HU, os pacientes seguem na incerteza de quando vão receber a medicação.

Em nota, o HU explicou que a falta da medicação se deu pelo aumento da demanda de pacientes oncológicos em tratamento no Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon), e que o fornecimento da medicação será reestabelecida no prazo de 15 dias.

Confira a nota na íntegra:

O Hospital Universitário Professor Alberto Antunes informa sobre a falta do medicamento Vinorelbina, utilizado no tratamento de pacientes com câncer de mama.

A Unidade Farmacêutica Clínica do HU esclarece que o atraso no fornecimento do fármaco se deu pelo processo de pregão, que é o procedimento adotado para aquisição de medicamentos e insumos para instituições públicas. O desabastecimento do medicamento se deu, ainda, pelo aumento da demanda de pacientes oncológicos em tratamento no Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) do HU.

Em 2017, o Hospital adquiriu 324 cápsulas do fármaco, enquanto em 2018, com o aumento da demanda, foram necessárias 555 cápsulas para atender aos pacientes em tratamento.

Em contato com a empresa fornecedora, que é de Brasília, o Hospital foi informado que será abastecido com a medicação no prazo de 15 dias.