Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Maria Carolina de Jesus, mulher negra, favelada, mãe solteira, catadora de papéis nascida em 14 de março de 1914, na cidade de Sacramento,Minas Gerais e falecida, aos 62 anos, em 13 de fevereiro de 1977, tornou-se uma das maiores referências mundiais da literatura negra brasileira, com seu "Quarto de Despejos: diário de uma favelada" (1960) , e uma série de livros a partir da sua vivências de mulher negra no universo das vulnerabilidades sociais e étnicas.

 Quarto de Despejo vendeu mais de 1 milhão de exemplares,  traduzido em 16 idiomas e publicado em 40 países, mesmo assim a escritora Maria Carolina foi  silenciada por décadas, no Brasil-acadêmico  do conservadorismo, segregacionismo e racismo nada velado.

Quando o ilustrador João Pinheiro leu a história de Maria Carolina ficou encantado e envolveu nesse processo encantatório  Sirlene Barbosa, professora do ensino municipal, em São Paulo e juntos decidiram transformar a história de Maria Carolina de Jesus, em história em quadrinhos.

Depois de um ano de trabalho, o livro é lançado, em 2016, aqui no Brasil, pela Editora Veneta Editora. A HQ chegou na França em 2018 e  recebeu o prêmio Especial do Festival de Quadrinhos de Angoulême, o mais importante do mundo, no gênero. A entrega da premiação acontece dia 24 de janeiro, em França.

Ao saber do livro, o ex-presidente Lula solicitou a um assessor um exemplar da obra.

Obra enviado, Sirlene escreve em sua rede social: “Sabe aquele dia pra não esquecer? Hoje!Presidente Lula, por meio de seu assessor, pediu nosso "Carolina"! Tá a caminho, com carta, autógrafo especial e muito axé, meu Presidente!#LulaLivre."

Boa leitura, Lula!