Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Será uma tarefa complicada falar sobre "O Segredo de Marrowbone" (2017) sem entregar algum spoiler, mas vamos tentar.

A trama do longa conta a história de uma família que foge do pai psicopata e se esconde um uma velha casa isolada da cidade. Após a morte da mãe, os quatro filhos prometem não se separar jamais e para isso precisam esperar que o mais velho complete 21 anos antes que descubram o falecimento da matriarca.

Envolto em uma aura de suspense e terror constante, o filme é dirigido e roteirizado pelo espanhol Sérgio G. Sánchez e produzido pelo compatriota J. A. Bayona, com quem já havia trabalhado no ótimo "O Orfanato" (2007). Esse novo trabalho até lembra, em certa medida, a melancolia assombrada do referido longa de 2007.
Entretanto, "O Segredo de Marrowbone" sabe que o público espera mais do que tramas óbvias e trata seu enredo como aquelas famosas bonecas russas, em que uma boneca esconde outra dentro de si, que esconde outra, que esconde outra.
O elenco distribui boas atuações e empresta verdade a história contada. George MacKay lidera o casting e Anya Taylor-Joy mostra que é o novo rosto do suspense, após emplacar filmes como "A Bruxa" (2015), "Fragmentado" (2016) e "Thoroughbreds (2017). A jovem também poderá ser vista em "Vidro" (2018) e na versão sombria dos "Novos Mutantes" (2019).
A ambientação também se destaca e encaixa perfeitamente na atmosfera de desencanto do filme.

Ao assistir "Marrowbone" não se apresse em desvendar os segredos da casa. Entre, mas deixe a porta aberta.

8.5

*Disponível no Youtube

*Instagram: resenha100nota