Cf8d3c1f 4a83 423a 92e1 8e872622c150

A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) afirmou, por meio de nota, que a ligação de esgoto à galeria pluvial na Ponta Verde não foi feita pela empresa. Segundo a Casal, a empresa não executa, nem nunca executou ligação clandestina de esgoto em galeria de águas pluviais.

Na manhã da quinta-feira (6), fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet) identificaram uma interligação entre a rede coletora de esgoto da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) e a galeria de águas pluviais da Prefeitura de Maceió. A Sedet havia informado que após a conclusão do laudo, encaminhará o auto de infração para a Casal e também informará, por meio de ofício, ao Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público Estadual (MPE).

De acordo com a Casal, existe uma ligação de esgoto residencial que passa dentro da galeria de águas pluviais e uma equipe técnica trabalha nesta sexta-feira (7), em apoio e solidariedade à Sedet, para solucionar o caso.

Confira a nota na íntegra: 

1. A Casal não executa, nem nunca executou ligação clandestina de esgoto em galeria de águas pluviais. Qualquer afirmação nesse sentido é pura desinformação de quem a fez. Todas as redes coletoras de esgoto da Casal seguem para o Emissário Submarino, na Avenida Assis Chateaubriand, onde são feitos todos os procedimentos de acordo com a legislação ambiental vigente. Nenhuma rede coletora de esgoto deságua nas praias. O que chega às praias, sempre, são as galerias de águas pluviais operadas pelos municípios, aos quais compete limpar, dar manutenção e fiscalizar essas estruturas;

2. Técnicos da Companhia estiveram na rua Hélio Pradines, na Ponta Verde, e descobriram que existe uma ligação de esgoto residencial que passa dentro da galeria de águas pluviais. Essa ligação não foi feita pela empresa, pois cada imóvel é responsável por se interligar por conta própria à rede coletora de esgoto – e jamais à galeria de águas pluviais;

3. A Casal esclarece que não faz ligação de esgoto de imóveis a sua rede coletora de esgoto e muito menos às galerias de águas pluviais. O procedimento ocorre sempre da seguinte forma: quando a rede coletora de esgoto está pronta e em operação na rua, a Casal comunica a todos os proprietários, que recebem um prazo e ficam responsáveis por interligarem seus imóveis a esta rede. Se não o fizerem, cometerão infração ambiental e deverão ser fiscalizados pelos órgãos ambientais;

4. Equipe técnica da Casal trabalha nesta sexta-feira (7), em apoio e solidariedade à Sedet, para solucionar o caso da Rua Hélio Pradines, pois a Companhia entende que esse tipo de situação é crime ambiental e, além de comprometer a saúde pública, prejudica o meio ambiente.

*Com Assessoria