Foto: Ascom TJ/AL Fa1b7e12 3084 4d1f 9e6a 11601d225c4d Tribunal de Justiça de Alagoas

Os réus João Paulo Carvalho do Nascimento, Carlos Roberto da Silva e Christianderson Santos de Araújo Lima foram condenados pela Justiça pelo assassinato de Maxsuel da Silva Santos, em novembro de 2015. A decisão foi tomada pelo Tribunal do Júri da 7ª Vara Criminal da Capital durante sessão conduzida pelo juiz titular da unidade, Sóstenes Alex Costa de Andrade, nesta quinta-feira (22).

A pena para Carlos e Christianderson foi de 16 anos e 8 meses de prisão por homicídio qualificado e corrupção de menores. Já João Paulo Nascimento foi condenado a 18 anos, 2 meses e 11 dias de prisão, pelos mesmos crimes.

O juiz Sóstenes Alex destacou o grau de reprovabilidade do crime. “A vítima foi agredida a ponto de ficar com o rosto desfigurado pela ação cruel dos réus. A reprovação do crime também é elevada pelo fato de que os réus tentaram esconder o corpo da vítima colocando capim por cima dele”, diz a sentença. 

Segundo a denúncia, os acusados convidaram Maxsuel da Silva para fumar maconha num terreno baldio já com intenção de matá-lo. Christianderson teria sinalizado aos demais que era o momento de cometer o crime, quando a vítima percebeu e tentou fugir, sendo golpeada por João Paulo logo depois e ficando desacordada.

Os réus aproveitaram que a vítima estava caída e inconsciente e desferiram golpes de pedra e faca em Maxsuel. Em seguida, teriam tentado esconder o corpo dele colocando capim por cima. A motivação do crime teria sido um suposto furto, feito por Maxsuel, de ferramentas de trabalho do colega de um dos acusados. 

O julgamento é um dos 150 que fazem parte da agenda do Mês Nacional do Júri em Alagoas. A força-tarefa é promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e vai até o dia 30 de novembro.

*Com Ascom TJ